Brasília/DF – Trinta mil reais é o valor da indenização que o jornalista Paulo Henrique Amorim, do Site Conversa Afiada, terá de pagar a Heraldo Pereira, no acordo firmado entre ambos em audiência de instrução e julgamento do Tribunal de Justiça do DF.
A audiência aconteceu na semana passada e Amorim terá de se retratar publicamente em anúncio a ser publicado nos Jornais Folha de S. Paulo e Correio Braziliense por ter chamado Heraldo Pereira de “negro com alma branca”.
O texto a ser publicado foi produzido na audiência e aprovado pelo repórter da Globo. O dinheiro será doado a uma instituição de caridade.
Acordo
O acordo é o resultado de uma ação cível contra Paulo Henrique Amorim protocolada em 2010 por Heraldo Pereira, sob a alegação de ter sido vítima de injúria e racismo reiteradas vezes em textos assinados por Paulo Henrique e publicados em seu site.
Na ação por danos morais, Heraldo inicialmente pediu R$ 300 mil, mas na audiência de conciliação aceitou o valor sugerido pelo juiz de R$ 30 mil.
O valor foi acertado como uma “doação” a ser feita por Amorim em seis parcelas de R$ 5.000 a partir do dia 20 de março. A instituição beneficiada foi escolhida por Pereira, o Mosteiro São Bento, da Igreja Católica, em Brasília.
Os textos
Os textos publicados por Amorim e alvo da ação judicial diziam que Pereira era “empregado de Gilmar Mendes” [ministro do Supremo Tribunal Federal] e fazia “bico” como jornalista na Rede Globo.
Pereira também foi chamado por Amorim de “negro com alma branca”, expressão que motiva uma ação penal por racismo e injúria racial na 5ª Vara de Justiça do Distrito Federal. Esta ação ainda não foi concluída.
Amorim também terá que tirar do ar todos os textos relacionados ao jornalista da TV Globo e manter no seu site, em local de destaque, o texto de retratação.
Paulo Henrique Amorim não quis dar declarações. Seu advogado, Cesar Marcos Klouri, disse que não houve uma condenação de seu cliente, mas uma “transação” entre as duas partes “homologada pelo juiz”.
Klouri afirmou que a expressão “negro de alma branca” foi tirada de contexto e não teve conotação racista. O texto de retratação, segundo o advogado, deverá ser publicado nos dias 4 ou 5 de março.

Da Redacao