Numa noite, ao chegar em casa bêbado, seu pai lhe proíbe de chegar perto de sua mãe doente. Após ouvir do pai que a mãe não presta, e ver seu cão de estimação espancado, ele foge de casa.
Agora jovem, ele vive sozinho e consegue dinheiro para sua sobrevivência, digamos de uma maneira não muito cristã ao lado de sua turma. Um dia ao tentar assaltar uma mulher, ele acaba fazendo duas coisas que irão suavizar sua maneira de ser. (Não revelarei o restante para não estragar a surpresa)
O resto do filme e dramático, mas sem apelações. Vale pela atuação do jovem ator no papel principal. Com certeza foi merecedor do Oscar.
PS: Não esqueça o lenço.
PELÍCULA II
O cantor de musica rap T.I. tem sua premiére como ator no filme ATL (abreviação de Atlanta).
Diferente de outros filmes que são filmados na Hood, (gíria para bairros nas áreas urbanas das cidades) que terminam sempre em tragédia, ATL conta a historia de um jovem de uma periferia meio barra pesada em Atlanta. O jovem Rashad (T.I.) e um ilustrador que sonha em ter seus próprios quadrinhos publicados em um jornal local.
Ele e forçado a ser o homem da casa depois que seus pais morreram em um acidente de carro. Quando não está desenhando seus personagens, ou tentando tirar seu irmão mais novo das garras de um traficante, ele gosta de patinar em um clube local com seus amigos.
Diferente de seu companheiro de profissão, o cantor 50 Cents que lançou o ano passado o filme autobiográfico “Get Rich or Dying Tryin”, (Fique Rico ou Morra Tentando) glorificando o fato dele ter recebido 9 tiros. ATL é um filme para jovens entusiastas da música rap que querem sair do cinema não para comprar uma arma, e sim o cd com a excelente trilha sonora deste filme pipoca.
Nem tudo no mundo da musica rap é violência. HALLELUJAH!
O PALCO
Assisti outro dia a uma peça muito interessante chamada “Living Room in África”.
A história se passa na sala de estar de um casarão em um país na África onde um casal inglês vive.
Entre a inocência de trazer “Arte” para os “primitivos” africanos pelo jovem inglês, o bloqueio mental da jovem escritora que o acompanha e não consegue terminar seu livro, e o desejo do próprio africano de deixar seu país, mas sendo iludido pelos forasteiros, presenciamos o relacionamento entre o mundo ocidental desenvolvido (branco) e a África “primitiva” (negra).
Sai do teatro pensando que desde os primeiros contatos entre os africanos e os europeus, estes últimos sempre trataram os africanos como se estes fossem seres humanos inferiores.
Será que a relação entre a Europa e a África esta diferente hoje em dia? Não necessariamente.
APOSENTADORIA
Lee R. Raymond, que se aposentou no final de 2005 da petrolífera Exxon Mobil, (a mesa do desastre de óleo derramado no Alaska no final dos anos 80) vai receber um pacote de aposentadoria no valor de 389 milhões de dólares. Sim, é isto mesmo, 398 milhões de dólares.
Ele trabalhou por 43 anos na Exxon, e os 12 últimos como presidente.
Parece muito dinheiro? Bem, não para o Comitê de Compensação Financeira que aprovou o pacote. Segundo o Comitê, o Sr. Raymond teve uma longa e distinta carreira dentro da empresa e, por isto, ele merece esta aposentadoria. Detalhe, o lucro da Exxon-Mobil, em 2005, foi de 36 bilhões de dólares. Acredito que este lucro é maior do que o PIB de muitos paises. Viva o Capitalismo!

Edson Cadette