Salvador – Pesquisa feita pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) para avaliação o Programa de Ações Afirmativas, acaba de botar por terra, o argumento dos setores contrários às cotas de que a adoção dos sistema pode levar ao rebaixamento do nível de ensino na Universidade: em 56% dos cursos os cotistas obtiveram coeficiente de rendimento igual ou melhor aos não-cotistas.
A análise levou em conta a média das notas dos 3 mil alunos ingressos no primeiro semestre de 2.005 nas disciplinas cursadas durante o ano letivo. Dos aprovados, 45% ingressaram através da reserva de vagas para alunos de escolas públicas. “Esses dados confirmam a competência dos alunos que entraram pelo Programa de Ações Afirmativas”, afirma o reitor Naomar de Almeida Filho.
No momento, 48% dos alunos da UFBA são oriundos de escolas públicas. Antes do Programa, a média geral era de 38,9%. Cerca de 10% menos. Segundo o reitor, o número de estudantes de escolas públicas aumentou de 5 a 10 vezes nos cursos de maior concorrência no vestibular, como Medicina, por exemplo, o que, para ele, acaba por modificar o perfil desses cursos.
De acordo com os dados da pesquisa, em 11 dos 18 cursos de maior concorrência da Universidade, ou seja, 61%, os cotistas obtiveram coeficiente de rendimento igual ou melhor aos não cotistas. Nos Cursos de Comunicação Social (Jornalismo e Produção Cultural), por exemplo, 100% dos cotistas obtiveram coeficiente de rendimento entre 5,1 e 10,00 nos dois semestres de 2.005, contra 88,9% dos não cotistas.
No curso mais concorrido, o de Medicina, 93,3% dos cotistas obtiveram coeficiente de rendimento entre 5,1 e 10,0, contra 84,6% dos não-cotistas. Antes do sistema de cotas, 30 cursos tinham uma taxa de participação de alunos oriundos de escolas públicas menor que 30%. Segundo a avaliação, em 18 deles, ou seja, 60%, mais cotistas que não-cotistas obtiveram coeficiente de rendimento igual ou maior que 7,5. Nos Cursos de Comunicação, por exemplo, essa realidade representa 100% dos cotistas, contra 62,5% dos não-cotistas.

Da Redacao