Brasília – De cada dez crianças de áreas remanescentes de quilombos, com até cinco anos de idade, uma está desnutrida e 11,6% apresenta déficit de altura para a idade, é o que revela uma pesquisa inédita feita pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, do Governo Federal sobre a realidade nutricional das comunidades quilombolas.
A pesquisa – Chamada Nutricional – mediu e pesou 2.941 crianças de 60 comunidades em 22 Estados durante a campanha de vacinação, em agosto de 2.006 e foi feita em parceria com o Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Os dados obtidos foram analisados por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Segundo os dados obtidos, 52% dos entrevistados declararam estar no Programa Bolsa Família, que atende a 6.957 famílias de Quilombos. A meta do MDS é chegar a 20 mil famílias quilombolas, além de reforçar ações de fortalecimento da agricultura familiar, construção de cisternas,
distribuição de alimentos e implantação de Centros de Referência da Assistência Social (CRAS). Atualmente, estes Centros existem em 38 Municípios que têm comunidades quilombolas.

Da Redacao