Amambaí/MS – A índia guarani Zulita Lopes, de 70 anos, foi morta por um grupo de pistoleiros, nesta terça-feira, na Fazenda Madama, na cidade de Amambaí, a 480 Km de Campo Grande, Mato Groso do Sul. O corpo foi encontrado pela Polícia Civil da cidade com um grupo de cerca de cem indígenas retirados da fazenda invadida na semana passada.
Os índios guaranis e caiuás reclamam que a fazenda, que fica próxima à fronteira com o Paraguai, é área indígena e invadiram as terras. Além de Zulita, outro indígena – Valdeci Ximenes – levou três tiros nas pernas.
A Polícia Federal deve entrar no caso a partir de hoje para investigar a autoria dos crimes.
A violência contra índios no MS, que tem como ponto de partida a expulsão dos povos originários de suas terras tem crescido nos últimos meses com assassinatos e mortes de lideranças. Também esta semana 300 índios guaranis, caiuás e terenas liberaram uma rodovia estadual em Dourados – a 210 km de Campo Grande -, depois de uma conversa com o secretário de Segurança Pública Wantuir Jacini.
Com 3.470 hectares, a reserva indígena de Dourados, transformada praticamente numa cidade, abriga cerca de 12 mil índios guaranis, caiuás e terenas.

Da Redacao