S. Paulo – A Polícia de S. Paulo prendeu na manhã desta terça-feira (11/07), José Marcelo de Vasconcelos, acusado da morte da estudante angolana Zulmira de Souza Borges, 26 anos, estudante de engenharia da Uninove. Vasconcelos foi preso por homens do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), por volta das 6h da manhã na mesma região em que o crime ocorreu – no Brás, região do centro.
Segundo o advogado Hédio Silva Jr. (foto), constituído pela família e que também acompanha a investigação em nome do Consulado Geral de Angola, em S. Paulo, a Polícia pode anunciar nas próximas horas a prisão do outro envolvido – um homem de nome Gil, que teria dado suporte e fuga para o assassino.
O caso aconteceu no dia 22 de maio passado em um bar da Rua Cavalheiro e, além de Zulmira, foram atingidos pelos disparos, o nomorado, Gaspar Armando Mateus, estudante de 27 anos, no Brasil há três, e mais Renovaldo Manoel Capenda, de 32, e Celina Bento Mendonça, de 34.
Celina estava grávida de oito meses e correu risco de perder o bebê pois o tiro que a atingiu foi na barriga. A criança, contudo, nasceu com saúde no último dia 16 de junho no Hospital Santa Catarina e recebeu o nome de Patrícia Vitória.
Segundo estimativas 60% da comunidade angolana no Brasil vive em S. Paulo.
Com a prisão do acusado pelo crime, a Polícia agora espera esclarecer as razões pelas quais o homem atirou em todo o grupo depois de uma discussão em que se xingou os angolanos de “macacos”.
Para o advogado Hédio Silva Jr., ex-Secretário de Justiça de S. Paulo, não há dúvidas de que o crime teve motivação racial.

Da Redacao