Brasília – Enquanto o Congresso do “mensalão” tende a rejeitar a adoção de cotas nas Universidades estaduais e federais, rejeitando o PL 73/99, em votação prevista para ocorrer entre os dias 11 e 13, a sociedade anda na frente e 17 Universidades estaduais e federais já adotaram à medida: até o final do ano o número de alunos cotistas chegará a 25 mil, o que representa um crescimento de 135% em relação ao ano passado, quando eram 10.635.
Segundo o próprio Ministério da Educação, o número de instituições públicas que adotam o sistema de cotas é crescente: no ano passado eram 12, e neste, 24, a última das quais a Universidade Federal do ABC (UFABC), no ABC paulista, que acaba de ser criada. Das 1,5 vagas do primeiro vestibular, 50% serão para alunos da rede pública, sendo que uma parte delas irá para negros e indígenas.
A primeira instituição federal a adotar o sistema foi a Universidade de Brasília, no segundo semestre de 2.004.
Apesar dos números do próprio Ministério, o ministro Fernando Haddad envolveu-se numa negociação com a ANDIFES, UNE, UBES, EDUCAFRO e um autodenominado Movimento dos Sem Universidade para propor a adoção de cotas em seis anos.
De acordo com os números do próprio MEC, por meio da Diretoria de Estatísticas e Avaliação da Educação Superior (Deaes), em todos os Estados a representação percentual de brancos na Universidade é maior que a sua representação na sociedade, sendo a menor em Santa Catarina com uma população de maioria branca (89%) (2,9 pontos percentuais), e a maior no Ceará, (26%), onde a população branca representa 31,7%.
Os cursos também mostram discriminação no Brasil. De acordo com o Deaes, odontologia é o curso com menor número de negros: 0,8%. É seguido pela arquitetura (1%), medicina veterinária (1,1%), engenharia mecânica (2,3%) e farmácia (1,2%).
Maioria branca
A presença de alunos brancos nos cursos de graduação
Arquitetura – 84,5%
Odontologia – 81,1%
Medicina Veterinária – 80,9%
Engenharia Mecânica – 80,6%
Farmácia – 79,9%
Direito – 79,4%
Jornalismo – 4%
Administração – 78,4%
Psicologia – 78,1%
Medicina – 77,7%
Fonte: MEC
Adoção Federal
Universidade Estadual do Rio de Janeiro – Uerj
Universidade Estadual da Bahia – Uneb
Universidade Federal da Bahia – UFBA
Universidade Estadual de Londrina – UEL
Universidade Federal do Paraná – UFPR
Universidade Federal de Alagoas – Ufal
Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul – UEMS
Universidade Federal de São Paulo – Unifesp
Universidade de Brasília – UnB
Universidade Estadual de Minas Gerais – UEMG
Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes
Universidade Estadual do Norte Fluminense – Uenf
Universidade Estadual de Goiás – UEG
Universidade Estadual do Mato Grosso – Unemat
Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF
Universidade Federal do Pará – UFPA
Centro Universitário da Zona Oeste – Uezo/RJ
Fundação Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro – Faetec
Universidade Federal do ABC – UFABC
Universidade Estadual do Amazonas – UEA
Universidade Federal do Tocantins – UFT
Escola Superior de Ciências da Saúde – ESCS/DF
Universidade de Pernambuco – UPE
Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – Uergs
Fonte: Ministério da Educação

Da Redacao