Brasília – A Procuradoria Geral da República já pediu a Ouvidoria da SEPPIR informações para preparar a defesa da Presidente Dilma Rousseff, no Mandado de Segurança impetrado contra ela no caso da polêmica aberta com o parecer da professora Nilma Lino Gomes, do Conselho Nacional da Educação, sobre o livro “Caçadas de Pedrinho”, do escritor Monteiro Lobato.
O parecer – o de n. 06/2011 – autoriza a compra de livros didáticos com estereótipos racistas e representa um retrocesso em relação ao anterior que obrigava a inserção pelas editoras de uma Nota Explicativa, segundo o autor da representação Antonio Gomes da Costa Neto, de Brasília, e foi homologado pelo ministro da Educação, Fernando Haddad – que não vê racismo na obra de Lobato.
Polêmica
A homologação do parecer provocou a reação de Gomes Neto que entrou com recurso para revogar a decisão. Todos os recursos foram ignorados, inclusive o último ao ministro, o que fez com que o o caso chegasse ao Supremo Tribunal Federal por meio de Mandado de Segurança.
O relator do Mandado de Segurança é o ministro Luiz Fux, depois do ministro Joaquim Barbosa – o único negro entre os 11 ministros do STF – ter se considerado suspeito para apreciar o caso.
Nota da Redação – Erramos
Onde se lê Procuradoria Geral da República, leia-se Advocacia Geral da União (AGU), por meio da Procuradoria Geral da União (PGU) que é o órgão da AGU que se relaciona com os Ministérios, encarregado de fazer a defesa da Presidente da República no Mandado de Segurança mencionado.

Da Redacao