Brasília – Governistas e líderes dos partidos de oposição chegaram a um acordo para votar em duas semanas – entre os dias 11 e 13 de abril – o PL 73/99, da deputada Nice Lobão, do PFL do Maranhão, que reserva 50% das vagas das universidades estaduais e federais para alunos oriundos da escola pública, incluindo negros e indígenas.
O acordo foi firmado em reunião de líderes, com a presença da ministra Matilde Ribeiro, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) e Fernando Haddad, da Educação. Também participou da reunião o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PC do B-SP).
Há pouco mais de um mês, Haddad anunciou ter chegado a um “consenso” para a implantação de cotas em seis anos, em reunião com a presença da UNE, UBES, Educafro, (representada pelo Frei David Raimundo dos Santos), do autodenominado Movimento dos Sem Universidade (MSU), e da poderosa Associação Nacional dos Dirigentes de Entidades Federais de Ensino Superior – Andifes. Em troca a entidade dos reitores recebeu a garantia do Governo de liberação de verbas para as Universidades.
Antes da votação ainda haverá uma audiência pública conjunta das Comissões da Educação e Direitos Humanos na próxima quinta-feira. Se aprovada pelo plenário da Câmara, a proposta vai ao Senado.

Da Redacao