Osasco/SP – Familiares e amigos da dona de casa Clécia Maria da Silva, 56 anos, humilhada na porta do Walmart em fevereiro do ano passado, promovem uma manifestação de protesto à postura da empresa neste sábado, (05/05) a partir das 17h.
No cartaz de convocação do ato, a denúncia “Walmart – Maltrata e humilha clientes pobres e negros”.
A dona de casa foi tomada por ladra de mercadorias pelas quais havia pago, submetida uma revista humilhante durante quase 30 minutos, sem nenhuma justificativa, apenas porque câmeras do circuito interno de TV a tomaram por suspeita.
Em virtude da revista, ela passou mal e teve de ser removida para o Hospital Montreal, de Osasco, onde ficou hospitalizada, com uma crise hipertensiva. De acordo com os médicos, ela chegou ao Hospital correndo risco de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).
O fato aconteceu no dia 16 de fevereiro de 2011, e o Walmart se recusa a reconhecer que a conduta do segurança foi imprópria e ofendeu a dignidade da dona de casa.
Racismo camuflado
Enquanto era revistada dona Clécia quis saber porque o procedimento e ouviu a resposta. “Isso sempre acontece, geralmente com pessoas de cor, pessoas negras”.
As pessoas que passavam, segundo contou no Inquérito, a apontavam: “olha lá a tiazinha roubando”.
Mesmo com as evidências dos constrangimentos, e o reconhecimento do segurança na investigação policial, o Ministério Público de Osasco pediu o arquivamento do Inquérito, o que acabou acontecendo por decisão do juiz da 4ª Vara, José Fernando Azevedo Minhoto.
A empresa vem se utilizando do arquivamento do Inquérito determinado pelo juiz para se recusar a reconhecer a responsabilidade pelos danos causados no episódio, conforme estabelece o Código Civil Brasileiro.
Tratamento digno
Nos cartazes, assinados pelo Comitê de Consumidores em Defesa da Lei e de Clientes ofendidos criado para organizar a manifestação, o movimento exige “tratamento digno a pessoas negras e pobres por parte do Hipermercado Walmart”.
Segundo seus organizadores, essa poderá ser mais das muitas manifestações que acontecerão, até que a empresa mude sua postura e respeite as leis do país.
O Walmart, que tem sua sede central nos Estados Unidos, é a maior rede de comércio varejista do mundo e no Brasil é uma dos três maiores.
Veja a entrevista com Dona Clécia

Da Redacao