Quem será responsável pelo extermino dos territórios negros no Brasil! Quem pagará esta conta? Que armadilha invisível é esta que não conseguimos perceber? Oh as armadilhas! Já foram tantas em que caímos que não vale apena citar estes tristes fatos em nossas vidas. Por inexperiência, por maldade, vaidade, ansiedade, volúpia, deslumbramento e tantas outras causas que poderíamos citar.

Mas para mim a causa mais significativa ainda é o “Racismo” produzido no conjunto da formação da história deste país. Talvez, pela vida atribulada de nossas dia a dia, muitas situações nos passam despercebidas, mas esta eu resolvi que não vou deixar passar.

No último, 27 de janeiro 2013, tivemos o trágico acidente na boate Kiss, na cidade de Santa Maria/RS, o Brasil inteiro chocou-se com a tamanha brutalidade ao qual foram ceifadas até o presente 240 vidas de jovens com um enorme futuro pela frente. Uma catástrofe de tal dimensão desencadeia uma série de desdobramentos, caça aos culpados, novas normas de prevenção entre outros.

E ai! Nós vemos uma avalanche de espaços que antes funcionavam de uma forma regular e regularizada, tendo todo o conceito de seu trabalho reavaliado, tanto pelas novas normas que ainda não foram implantadas, mas muito mais pela sensação de insegurança que paira em nosso subconsciente de nossos comandantes.

O momento agora é de interditar, para se resguardar, todos são favoráveis e estão motivados a esta ação desencadeada pelas prefeituras, bombeiros e órgãos correlatos.

Faço o seguinte questionamento? Das entidades que estão sendo interditadas quais as que retornarão a sua rotina normal? Quais as que interromperão suas atividades pelo período da reforma? Quais as que deixarão de existir por não terem recursos para fazer a reforma?

Voltando a falar em territórios negros, só no Rio Grande do Sul, temos mais de 30, mil casas de Religião de Matriz Africana, aproximadamente umas 500 Escolas de Samba e mapeados mais de 50 Clubes Sociais Negros!

Estes desdobramentos nos levam a refletir (nos trazem a lembrança) sobre os outros motivos que muitas vezes nos obrigam a interromper abruptamente as atividades em nossos espaços. Será que agora com um motivo de comoção nacional, nossas históricas entidades não correm risco de total dizimação. Pois dinheiro! Não temos. Sofremos acintosamente agressões de racismo velado, que por desculpa disto ou daquilo anteriormente a todo o momento tinham motivo para nos barrar.

E agora, temos o reconhecimento histórico, mas não o reconhecimento de fato. O que fazer? Como nos salvaguardar? Qual o verdadeiro mapa nacional destas agressões? Como proteger estas entidades? A III Conapir vem ai! Seria um grande fórum para tratarmos nacionalmente desta temática.

Por fim! Fiquemos alertas, a fim de que não sejamos apenas nós, que não tivemos culpa nenhuma de todo o acontecido há pagar toda esta fatura caríssima para a história da população do Brasil.

 

Luis Carlos de Oliveira