Seres trogloditas guiados por ideias nefastas insistem que o Brasil é um país racista! São pessoas inconsequentes que fazem da unidade social/convívio pacífico, excepcionalidade brasileira, um horror, incentivando a polarização social a partir dos elementos étnico-raciais.

Como pode tamanha irracionalidade num país que sempre integrou os negros, que aliás estiveram sempre próximos dos donos do poder. Nunca se arrogaram ao ascender socialmente em se apropriar das insígnias do poder. Para que essa palhaçada de racialização social? A única resposta que há é: favorecer grupos políticos minoritários.

Sobe o discurso humanitário e de mudar o país, constrói-se a falácia das políticas públicas, principalmente de cotas, que somente favorecem a uma elite negra que deseja que a maioria dos negros se vejam vítimas de racismo e discriminação e assim preencham as fileiras das mobilizações sociais em torno dos discursos de racialização, legitimando seus benefícios/ privilégios daquela elite negra.

Na realidade, estão criando potentados com ajuda de massa de ingênuos e ignorantes cuja grande meta é destruir o patrimônio civilizacional brasileiro: a harmonia entre os grupos étnico-raciais. Para isso esses escroques fascistas remexem em memórias seculares, atacam a história nacional e distorcem as narrativas que estruturam nossa identidade nacional. Enfim, pretendem (re)significar nosso passado para  (re)pensarem  o lugar deles na vida social brasileira.

Que heresia política estão envenenando a pacífica, tranquila e ordeira  sociedade brasileira. Para que se insubordinar contra o lugar imaginado e construído para cultura negra na história? A resposta é simples, novamente a repito: para favorecer o poder de grupos de aproveitadores e pilhadores dos cofres públicos.

É contra essa loucura social, que infectou o país, que se colocam a berrar os arautos da pax racial, aqueles que somente compreendem conflito como sinônimo de ódio, e consenso de paz e amor. Quanta ignorância e verborragia são gastas contra aqueles que pretendem destruir a imagem do país alegre e pacífico. Esses racistas, pois é isso que são, afirmam os civilizados brasileiros, transferem o seu complexo de inferioridade como problema da Nação. 

É, justamente, isso que pensam os que não reconhecem que o racismo existe no Brasil, e isso não é autoengano e nem mesmo ignorância, mas simplesmente o entrelaçamento do medo do outro e da busca manutenção o poder social. Quem serão os trogloditas dessa luta? Quem são os patifes destruidores da Nação?

 

Igor Vitorino da Silva