“O maior país do mundo de população negra fora da África, o país que mais traficou escravos na história da humanidade, o país que praticou através do Direito uma segregação racial direta, uma país que continua mantendo desigualdades raciais e sociais que ofendem a dignidade humana e o Estado de Direito, ainda tem pessoas que preferem ter as mesmas idéias dos que eram contra a emancipação dos escravos por temerem a quebra do Brasil.
Nós somos a favor do desenvolvimento deste país, de uma reconciliação nacional, de sanear as feridas de 388 anos de escravidão oficial e formal, de 117 anos de abandono dos afro-brasileiros. Não haverá progresso neste país enquanto este existir apenas para os brancos, e todos na sociedade fizerem de conta que não há um problema racial a ser resolvido; o mito da democracia racial não resiste a uma fotografia em uma Universidade, ou do parlamento brasileiro, ou do comando das Forças Armadas.
Portanto, nós do Movimento Negro do Brasil, queremos concluir uma página da luta por democracia, exigindo a aprovação de políticas públicas para iniciar a reparação e a compensação aos danos causados pelo Estado Brasileiro e a sociedade aos construtores do Brasil: os afro-brasileiros.”

João Jorge Santos Rodrigues – Presidente do Olodum