Este mesmo setor composto por macros, médios, micros e informais também é ameaçado por um “plano diretor” inadequado à realidade do mercado e agoniza num mar de burocracia e uma “lei-geral” que persiste em tratar todas as empresas de forma igualitária. Contudo, os subsídios e incentivos fiscais com os quais toda grande empresa é agraciada não são oferecidos as demais, e esta exceção, na regra, coloca em questão o “tratamento igualitário”.
Numa parceria entre o Senac (Itaquera), Sebrae e a sociedade civil organizada criou-se a REDE SOCIAL, onde são apresentados e discutidos os problemas sócio-econômicos da região e as propostas para a melhoria com um desenvolvimento planejado.
O objetivo das reuniões é encontrar formas práticas através de parcerias, cursos e mobilização comunitária, visando qualificar o cidadão e as comunidades no caminho do desenvolvimento sustentável de cada região.
Sendo assim, a Rede Social tem o prazer de convidar associação de comerciantes, lideranças, prefeitura, construção civil, faculdades e universidades, shopping-centers, jornais, cooperativas e, principalmente, o cidadão a participarem desta discussão que é de relevância e interesse público para programarmos os próximos 30 anos de desenvolvimento de nossa região.
Precisamos semear e cultivar idéias para que a próxima geração não sofra as consequências da nossa omissão. Temos o direito e o dever de participar efetivamente na adequação de nossa legislação a realidade presente em nossas vidas. Toda omissão, neste caso, é crime, onde os inocentes é que serão as vítimas.
Mais informações:
www.sebraesp.com.br
[email protected]
www.sp.senac.br/redesocial

Devair Gonçalves