Cubatão/SP – A reportagem sobre a “Operação Abafa” no incêndio da Vila Socó, em Cubatão, o caso com maior número de vítimas no Brasil, levada ao ar pela Rede Bandeirantes, é uma das finalistas do Prêmio Essso 2014 de Telejornalismo. No incêndio morreram pelo menos 508 mortos – na sua maioria migrantes nordestinos, pobres e negros -, de acordo com as investigações do Ministério Público.

Os vencedores do Prêmio de maior prestígio do Jornalismo brasileiro serão anunciados no mês que vem. A reportagem da Band, de autoria dos jornalistas Rodrigo Hidalgo, Tony Chastinet, Camila Moraes, Alziro Oliveira e Walter Colling, foi ao ar no dia 18 de julho deste ano e mostrou documentos inéditos desmentindo as versões sustentadas à época pelas autoridades de que morreram apenas 93 pessoas no incêndio, ocorrido na madrugada de 25 de fevereiro de 1.984, último ano do governo militar.

A reportagem foi apresentada na abertura da audiência da Comissão da Verdade Rubens Paiva, presidida pelo deputado Adriano Diogo, que ouviu o então presidente da Petrobrás, Sigheaki Ueki.

A Comissão Estadual da Verdade encampou o trabalho iniciado por uma Comissão criada pela OAB de Cubatão, constituída pelos advogados Luiz Marcelo Moreira, André Simões Louro e Dojival Vieira, para investigar as circunstâncias da “Operação Abafa”, que pretendeu reduzir o impacto da tragédia, minimizando o número de mortos, e garantir a impunidade dos responsáveis.

O trabalho das duas comissões deverá ser a base do processo que a Comissão da Verdade de Cubatão protocolará junto a Corte Interamericano de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), pedindo a condenação do Estado brasileiro a revisar a história e a reparar as famílias, excluídas da lista de indenizações.

Confira a reportagem:

http://videos.band.uol.com.br/programa.asp?pr=jornal-da-band&e=noticias&v=15123728

Da Redacao