Rio Claro/SP – Pela primeira Rio Claro, cidade de 168 mil habitantes da região de Campinas, a 157 Km da Capital, celebrará o 20 de Novembro – Dia Nacional da Consciência Negra – como feriado municipal. A Lei neste sentido, aprovada pela Câmara, foi promulgada no ano passado. Em São Paulo, já são cerca de 25 as cidades em que é feriado municipal, inclusive São Paulo – capital.
No ano passado, São Vicente e Itapecerica da Serra, na região metropolitana, por decisão das Câmaras Municipais, decidiram declarar o 20 de Novembro, feriado Municipal. No Congresso, tramita projeto do senador Paulo Paim, aprovado esta semana pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias, declarando o 20, Feriado Nacional.
Na Capital, o Feriado municipal este ano terá a segunda edição da Parada Negra, que pretende levar para a Avenida Paulista a maior manifestação negra e anti-racista da história de São Paulo. A concentração está prevista para as 12h, no vão do MASP na Avenida Paulista.
No ano passado, a Parada, realizada unitariamente com a III Marcha da Consciência Negra reuniu cerca de 20 mil manifestantes.
Zumbi
O líder negro Zumbi (1.655-1695), é considerado herói da resistência anti-escravista e do povo brasileiro, nasceu, segundo estudos no próprio Quilombo dos Palmares, em 1.655. Era descendente de guerreiros angolanos.
Pouco depois de nascer foi aprisionado pela expedição de Brás da Rocha Cardoso, sendo entregue com poucos dias de vida a um padre que o batizou com o nome de Francisco.
Aos 15 anos, fugiu da casa do padre e retornou a Palmares, onde adotou o nome de Zumbi, que significa na língua bantu “aquele que nunca morre”.
Uma das batalhas que o celebrizou foi travada em 1673, quando, na liberança dos combatentes de Palmares derrotou a expedição comandada por Jácome Bezerra, contratada por fazendeiros e pelo governador de Pernambuco para destruir Palmares.
Um ano antes de sua morte, caiu em um desfiladeiro após ser baleado em combate contra as tropas de Domingo Jorge Velho, sanguinário bandeirante paulista contratado especialmente pela crueldade com que combatia e caçava negros e indígenas que buscavam se livrar da opressão do escravismo. Dado como morto, Zumbi reaparece em 1695, ano oficial de sua morte.

Da Redacao