Porto Alegre – A realização da primeira oficina de apresentação dos Editais para Criadores e Produtores Negros realizada no Rio Grande do Sul lotou o pequeno espaço de reuniões da representação gaúcha do Ministério da Cultura, em Porto Alegre na tarde de terça-feira (29/01).

Mais de 200 pessoas, entre militantes do movimento social negro, produtores culturais e representantes de organizações governamentais e não governamentais puderam conhecer o material produzido pelo Governo Federal através do Ministério da Cultura. Os editais são dirigidos a produção audiovisual, patrimônio, teatro, literatura, música, artes visuais, artes plásticas e também pesquisa em cultura afro-brasileira. O conteúdo pode ser encontrado no site do Ministério da Cultura no site www.cultura.gov.br.

Desagrado

As explicações não agradaram a todos os presentes, em especial houve manifestações de desagrado ao conteúdo do edital dirigido à produção de curtas metragens. Uma das regras diz que o proponente deve ter entre 18 a 29 anos. Essa exigência desagradou a alguns dos presentes, pois consideraram que ao estipular faixa etária não se abre oportunidades à participação de griôs, por exemplo.

Segundo o representante da Fundação Cultural Palmares/MinC, Martvs Chagas, a exigência visa estimular o jovem a sair de uma faixa de risco social e produzir e relatar a sua própria história através do cinema e da produção audiovisual. O dirigente da Palmares ressaltou a importância de os produtores culturais negros gaúchos a participar dos editais, pois, apesar de o Estado ter uma minoria de negros na composição de sua população, o Movimento Negro tem forte tradição no Rio Grande do Sul.

A opinião de Martvs também é compartilhada pela secretária adjunta da Educação de Porto Alegre, Maria da Graça Paiva, para quem é de fundamental importância que o Ministério da Cultura promova políticas de ação afirmativa. Segundo ela, é de grande orgulho para Porto Alegre ter sediado a primeira oficina, pois é na capital que se concentra grande parte dos produtores culturais negros no Rio Grande do Sul.
 

 

Da Redacao