Rio – O Rio abre nesta sexta-feira (21/03) a sétima edição do Encontro de Cinema Negro Brasil/África e Caribe Zózimo Bulbul, que este ano terá curadoria do diretor Joel Zito Araújo e participação de países africanos e caribenhos, como Manour Sora Wade, do Senegal, e Rigoberto Lopez, de Cuba. O Encontro vai até o dia 30 de março e as sessões ocorrerão no Cinema Odeon, no Centro Cultural da Justiça Federal, no Centro Afro Carioca de Cinema e seminários no Teatro da Livraria Cultura, na Cinelândia, e S. João do Meriti, na Baixada Fluminense.

No Odeon, entrada terá preços populares de R$ 4,00. No Centro Cultural da Justiça Federal e em S. João do Meriti, será gratuita com distribuição de senhas uma hora antes do início da exibição dos filmes. A direção de arte é de Biza Vianna, companheira de Bulbul, o mais importante ator, roteirista e cineasta negro do país, morto em janeiro do ano passado.

Segundo Vianna "a curadoria foi pensada visando dar continuidade a influência marcante do olhar de Zózimo Bulbul, que ao criar o projeto do Encontro de Cinema Negro, acreditava no poder transformador do cinema, para ele capaz de mudar a concepção de um país". "Zózimo realizou um grande trabalho de aproximação com o cinema de países africanos e incentivou o cinema realizado por cineastas afrobrasileiros, africanos e da Diáspora, fortalecendo uma ponte de parceria com o continente africano", afirma a diretora de arte.

Nesta sétima edição serão homenageados, o próprio Bulbul, pelo Brasil, e o diretor do Mali, Cheik Omar Sissoko, representando os cineastas do continente africano.

Eixos

Para o curador da mostra, Joel Zito Araújo, três eixos orientam a realização do Encontro de Cinema Negro Brasil/África e Caribe: 1 – valorizar e incentivar o protagonismo juvenil na área de cinema apresentando uma nova geração de realizadores/as negros/as que emergem em vários pontos do Brasil; 2 – dar visibilidade para um cinema criativo que se beneficia do desenvolvimento tecnológico audiovisual e produz ficções e docs em múltiplas plataformas, a baixo custo, pelas mãos da juventude brasileira, africana e da diáspora negra de várias partes do mundo; 3 – assegurar a exibição de um cinema da diversidade cultural e racial, destacando o cinema negro como um dos aspectos fundamentais deste cenário.

Programação

Nesta edição, serão apresentados filmes premiados no FESPACO 2013 – Festival Panafricano de Cinema Ouagadougou como “One Men Show”, de Newton Aduaka (Nigéria); “Moi – Zaphira”, de Apoline Traore (Burkina Faso); e “Toiles d'araignées”, de Ibrahim Touré (Mali). Outra novidade é a inclusão de filmes dirigidos por mulheres: “Noire ici Blanche Las Bàs”, Claude Haffner (República do Congo); “Calipso Rose”, Pascalle Óbolo (Camarões); “Um filme de Dança”, Carmem Luz (Brasil); “Dialemi”, Nadine Otsobogo (Gabão).

Também será feito um mapeamento de diversos pontos do Brasil, trazendo jovens cineastas com filmes de Maceió, Sergipe, Minas Gerais e São Paulo. Os filmes são: “Outros Carnavais”, Luiz Paulo Lima (São Paulo); “O que lembro tenho”, Rafael Barbosa (Maceió); “Qui_lombo é esse?” e Everlane de Moraes (Sergipe). Os diretores destes filmes serão convidados especiais e estarão presentes ao 7º Encontro

Produção do 7º Encontro:

Biza Vianna – Diretora-Executiva do Centro Afro Carioca de Cinema conta com a colaboração de Cátia Cruz Ângelo, que realiza o trabalho de relações institucionais e políticas com patrocinadores e apoiadores, que viabilizam a realização do evento.

Equipe de produção: Sílvia de Mendonça, Neide Diniz, Marina Alves, Ana Maria Alves.

Equipe de divulgação: Naira Fernandes, Adriana Baptista, Janaína Refém.

Assessoria de Imprensa: Bia Saldanha e Rozangela Silva

Patrocínio:

Prefeitura do Rio

Apoios:

Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro

SUPIR – Superintendência de Igualdade Racial

Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos

Cinema Odeon Petrobras                   

Livraria Cultura

Cine Maison

Embaixada da França no Brasil

Centro Cultural da Justiça Federal

 

Da Redação, com informações de Biza Viana