Salvador – Para marcar o Dia Municipal de Combate à Intolerância Religiosa – 21 de janeiro -, a Prefeitura Municipal de Salvador, através da Secretaria Municipal da Reparação (SEMUR) e da Secretaria Municipal da Educação e Cultura (SMEC) realiza na próxima segunda-feira (22/01), das 14h as 18h, na Casa do Benin (Pelourinho), o II Seminário Municipal Inter-Religioso de Combate a Intolerância.
O Dia de Combate a Intolerância Religiosa foi instituído pela vereadora e ex-secretária municipal da Educação, Maria Olívia Santana. A data foi escolhida em memória da Morte de Mãe Gilda, Ialorixá do Terreiro Abassá de Ogum, morta em decorrência de problemas emocionais provocados pela intolerância religiosa.
Com o tema “Por uma Cultura de Paz, Liberdade de Crença e Respeito às Diferenças”, o seminário reunirá representantes do candomblé, espiritismo, judaísmo, islamismo, budismo, hare krishna, além de testemunhas de Jeová, católicos e evangélicos da Igreja Universal do Reino de Deus, Assembléia de Deus e Igreja Batista.
Durante o seminário, os participantes farão um ato em protesto contra o racismo e a discriminação religiosa na Bahia. O evento será concluído com uma celebração ecumênica, onde um religioso de cada segmento fará um pedido pela paz universal baseado nos seus princípios.
De acordo com Altair Lira, coordenador de ações para a reparação (CAR), órgão da SEMUR e um dos responsáveis pela programação, as atividades terão como motivação principal, estimular a paz na sociedade com base numa cultura onde haja liberdade de religião e culto.
Além do seminário, no domingo, dia 21, acontecerá uma cerimônia de plantio de Baobá, no Centro Espírita Cavaleiros da Luz. O Baobá é uma árvore de origem africana, sagrada para o culto afro-brasileiro. O plantio faz parte de um programa sistemático da Semur, de reflorestamento da espécie no solo soteropolitano.

Da Redacao