Macapá – Desesperado diante da derrota iminente para Cristina Almeida, a candidata negra do PSB, o senador e ex-presidente da República José Sarney, candidato à reeleição pelo Amapá, começa a apelar: além de demitir o marqueteiro da campanha na semana passada, ele botou uma negra para apresentar seu programa eleitoral na TV.
O Comitê de Cristina Almeida também tem recebido informações de que o adversário orientou seus partidários a provocar tumultos e vandalismo incendiando veículos e atribuindo a ela a responsabilidade. “É a marca característica do desespero”, avaliou Cristina.
A última pesquisa do Ibope apresenta a candidata do PSB em ascensão. Ela já tem 40% das intenções de voto, contra 47% de Sarney. Em maio, tinha apenas 8% contra 57% de Sarney.
Na última sexta-feira, informa o jornalista Édi Prado, de Macapá, para a Afropress, Cristina reuniu no quintal da casa de sua mãe, no Bairro Laguinho em Macapá, onde nasceu e se criou, representantes das comunidades quilombolas do Curiaú, Carmo do Macacoari, Igarapé do Lago, Mazagão, e Mazagão Velho, Maruanun, São Pedro dos Bois e Coração.
A candidata alertou que, com a proximidade das eleições, Sarney começou a entrar em pânico diante da possibilidade real de ser obrigado a retornar ao Maranhão. Sarney é senador há 16 anos do Amapá, sem nunca ter morado no Estado.
Os representantes das comunidades também denunciaram que estão sendo ameaçados com a perda de benefícios sociais e até de demissão, quando se recusam a fixar cartazes e bandeiras do partido do governador Waldez Góes (PDT), aliado de Sarney e candidato à reeleição.

Da Redacao