Brasília – O Secretário Nacional da Diversidade Humana da UGT (União Geral dos Trabalhadores), Magno Lavigne, disse ontem que a Central apóia a posição do ministro Edson Santos, que já anunciou o nome do secretário Adjunto Elói Ferreira de Araújo para substituí-lo depois de abril quando deixará o cargo para disputar às eleições de outubro.
“Apóiamos integralmente o padrão adotado pelo Presidente Lula e que está sendo seguido pela equipe do ministro Edson Santos. Estamos de acordo com essa orientação e achamos que o ministro merece nosso apoio”, afirmou Lavigne. A posição também é defendida pela presidente do Inspir, Cleonice Caetano.
Questionamento
A orientação dada pelo Presidente a todos os ocupantes de cargos na Esplanada é de que, os que saírem para disputar as eleições, devem ser substituídos por seus secretários adjuntos e ou secretários executivos, para evitar mudanças maiores na estrutura do Governo. Essa orientação, porém, vem sendo questionada por setores do Movimento Negro.
Segundo lideranças negras petistas, o ministro estaria adotando uma “posição personalista e esquecendo que a SEPPIR é uma demanda criada pelo movimento negro e, portanto, sua substituição não é um assunto pessoal”.
Essas lideranças – inclusive dirigentes da Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN) – chegaram a decidir no 4º Congresso do PT, há duas semanas, mandar ao Presidente Luis Inácio Lula da Silva, uma lista tríplice com os nomes do próprio adjunto Elói Ferreira de Araújo, do subsecretário de Ações Afirmativas, Martvs Chagas, e do ex-dirigente da Seppir na gestão Matilde, João Carlos Nogueira.
Nesta terça (02/03), o ministro se recusou, mais uma vez, a tratar do assunto e repetiu por assessores que está apenas adotando e seguindo à risca a orientação do Presidente da República.
A Afropress apurou junto à lideranças da CONEN e de Secretarias Estaduais de Combate ao Racismo do PT que, mesmo com a manutenção da orientação do Presidente não está resolvida a questão de quem assumirá a Secretaria Ajunta “uma vez Elói se tornando ministro”.
A proposta da lista tríplice, com preferência explícita por Martvs Chagas, visa, segundo afirmou uma importante liderança negra mineira justamente preencher esse vácuo.

Da Redacao