S. Paulo – No ensejo dos 50 anos do golpe militar de 1.964, que instaurou uma ditadura responsável pela prisão, cassação, morte e desaparecimento de muitos brasileiros – entre os quais, centenas de líderes negros – a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo promove no dia 31 de março uma jornada de reflexão sobre esse acontecimento histórico e as consequências de regimes autoritários.

O programa se inicia, pela manhã, com um curso destinado a jornalistas e estudantes de comunicação, sobre a cobertura do tema refugiados. A 2a Oficina Paulista para Jornalistas sobre Proteção Internacional de Refugiados, sob a ótica “Brasil, de origem a destino de refugiados – São Paulo – a porta de entrada para um novo começo", é uma iniciativa conjunta com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e a Caritas SP, organismo de defesa dos direitos humanos, ligado à Arquidiocesana de São Paulo. Em seguida, haverá a cerimônia de oficialização do escritório em São Paulo, da ACNUR, sediado no prédio da Secretaria da Justiça, com a presença da secretária Eloísa Arruda (foto).

À tarde, a partir das 15h, durante a programação denominada “Ex-presos políticos – um resgate histórico – o Estado revendo o seu passado” será exibido o documentário “Travessia”, de João Batista de Andrade, diretor presidente do Memorial da América Latina (foto na capa).

Um debate sobre o filme, com a presença de Andrade, autor do documentário e do advogado, jornalista e produtor teatral Idibal Piveta (César Vieira), encerra as atividades.

Refugiados

Em todo o mundo, um grande número de pessoas são obrigadas a abandonar os seus países de origem por causas políticas, econômicas e ambientais. Estima-se que no final deste ano, 52 milhões de refugiados serão deslocados de seus lares e dispersos pelo mundo.

Esse drama também afligiu o Brasil no passado, quando estudantes, artistas, intelectuais e políticos, enfim, opositores do regime, necessitaram fugir do país, devido ao golpe militar de 31 de março de 1964.

Hoje o Brasil vive uma nova realidade. Ainda há muitos brasileiros vivendo em outros países, agora não mais por razões políticas, mas a procura de novas oportunidades econômicas e financeiras, ou mesmo jovens que querem estudar no exterior.

Hoje, o país que experimentava a saída de seus compatriotas, recebe milhares de pessoas vindas de diferentes países, inclusive de países da África e da América do Sul.

Nos últimos três anos, o número de solicitações de refúgio no Estado de São Paulo cresceu quase quatro vezes, saltando de 314 (registradas em 2011) para cerca de 1.200 (em 2013). De todas as solicitações de refúgio registradas no Brasil em 2013 (aproximadamente 4.700), São Paulo recebeu 24% delas.

SP porta de entrada

O Estado se transformou em porta de entrada para essas pessoas, razão pela qual a ACNUR optou por criar uma representação regional em São Paulo, que será oficializada no dia 31 de março.

O tema também será objeto da 2a. Oficina Paulista de Jornalismo sobre Proteção Internacional de Refugiados, no horário das 8h às 12h. Essa será a segunda edição do curso promovido pelo Estado em parceria com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR).

Entre os palestrantes, estão o representante do ACNUR no Brasil, Andrés Ramirez, a secretária da Justiça e presidente do Comitê Estadual para Refugiados, Eloisa de Sousa Arruda, e a representante da Caritas Arquidiocesana de São Paulo, Larissa Leite, que atende solicitantes de refúgio e refugiados que vivem na cidade.

Os participantes do curso terão a oportunidade de debater com especialistas em refúgio e proteção internacional, e poderão entrevistar refugiados que vivem no Brasil.

As inscrições para a 2ª Oficina Paulista de Jornalismo são gratuitas e devem ser feitas pelo [email protected] até o próximo dia 26 de março (veja programação abaixo e ficha de inscrição em anexo).

Ex-presos políticos: um retrato histórico

No período da tarde, das 15 às 18h, a história do Brasil entra em pauta. No saguão da sede da Secretaria da Justiça, será exibido um documentário com depoimentos de ex-presos políticos que compõem o Comitê de Ex-Presos Políticos do Estado de São Paulo.

Às 16 horas, haverá a exibição do filme Travessia, de João Batista de Andrade, que aborda a questão da ditadura militar. O longa-metragem traz histórias e reflexões de pessoas que tiveram uma participação expressiva nesse período, seja a favor ou contra o Golpe de Estado, gerando uma discussão pública sobre os caminhos divergentes de luta, a travessia das fronteiras e o Brasil de hoje, pós-ditadura.

Após a exibição do filme, será realizado um debate com Andrade, ao lado de o ex-preso político, advogado e autor teatral, Idibal Piveta (pseudônimo Cesar Vieira).

Para participar da sessão do filme e do debate, os interessados deverão solicitar a inscrição por email([email protected]) até o próximo dia 26 de março. Ao todo serão oferecidas 100 vagas.

PROGRAMAÇÃO

Manhã

2ª Oficina Paulista de Jornalismo sobre Proteção Internacional de Refugiados

 
08h-08h30: Café de boas vindas.
 
08h30-08h45: Boas vindas e apresentação: palavras dos organizadores. 
 
08h45-09h45: Bloco 01 (palestra seguida de entrevista).

· Aspectos Técnicos da Proteção Internacional de Refugiados (Representante do ACNUR no Brasil, Andrés Ramirez);

 09h45-10h: Pausa com coffee-break.
 
10h- 11h: Bloco 02 (palestra seguida de entrevista).

· A Dinâmica da Cobertura Jornalística sobre Refúgio (Oficial de Informação Pública do ACNUR no Brasil, Luiz Fernando Godinho; Relações Externas da Caritas Arquidiocesana de São Paulo, Larissa Leite);

11h-12h30: Bloco 03 (convidados especiais / palestra seguida de entrevista).

· Secretária da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, Eloisa de Sousa Arruda;

· Depoimento de refugiados que vivem no Brasil e de ex-refugiados brasileiros;

Tarde 

Ex-presos políticos: Um retrato histórico

15h – Abertura

16h – Exibição do filme Travessia

17h30 – Debate com ex-presos políticos

· João Batista de Andrade – autor do filme Travessia

· Idibal Piveta (pseudônimo Cesar Vieira) – ex-preso político, advogado e autor teatral

18h – Encerramento
 

Serviço

Inscrições: até 26 de março
Data: 31 de março (segunda-feira), das 8 às 12hs e das 15 às 18hs
Local: Auditório da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania.
Endereço: Pátio do Colégio, 184 – São Paulo/SP.

Mais informações 
· Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo 
Assessoria de Comunicação 
Fone: (11) 3291-2612/2697
e-mail: [email protected]

 

Da Redação, com informações da Assessoria de Comunicação da Secretaria da Justiça de SP