S. Paulo – A Secretaria do Trabalho do Município de S. Paulo, por intermédio da Comissão Intersecretarial de Monitoramento e Gestão da Diversidade (CIM-Diversidade) está submetendo à consulta pública a proposta de um Pacto para a Valorização e Promoção da Diversidade de raça e gênero no mercado de Trabalho.
O Pacto faz parte do “Selo Diversidade Cidade de São Paulo”, iniciativa que o Secretário do Trabalho Gilmar Viana quer lançar em novembro, em parceria com organizações empresariais, sindicais e entidades do Terceiro Setor vinculadas à questão de gênero e raça da sociedade civil.
A Minuta do Pacto elaborada pelo Instituto Ethos de Responsabilidade Social, um dos parceiros da iniciativa, está aberta a sugestões e emendas até o dia 05 de outubro, quando haverá nova reunião para aprovar os termos do Pacto. As propostas de emendas podem ser encaminhas para o email: [email protected]
A proposta do “Selo Diversidade” visa estimular as empresas a combaterem todo o tipo de discriminação no mercado de trabalho, em especial de gênero e de raça, e a assumirem compromissos públicos, no sentido da valorização e da promoção da diversidade.
A reunião em que foi apresentada a proposta do “Selo” e a minuta do “Pacto”, teve a participação de representantes da OIT, Governo Federal, através da Seppir, do Instituto Ethos de Responsabilidade Social e do IBD – Instituto Brasileiro da Diversidade – e de mais de 45 entidades representativas de todos os setores, incluindo o Comitê de Jovens da Federação das Indústrias do Estado de S. Paulo, o Grupo Pão de Açúcar, a Kodak Brasileira, ABN Amro Real, SEBRAE, SESC, SENAC, Federação das Mulheres, Conselho Estadual da Condição Feminina, CONE, Coordenadoria da Mulher, Instituto Sindical Latino-Americano para a Igualdade (Inspir), Sindicato dos Comerciários de S. Paulo, entidades do Movimento Negro como, Associação da Anemia Falciforme de S. Paulo, Fala Preta e CEERT, e entidades representativas da comunidade latina em S. Paulo, como a Presença da América Latina e o Centro de Apoio ao Migrante do Serviço de Pastoral do Migrante.

Da Redacao