Araçatuba/SP – A Prefeitura de Araçatuba, por meio da Secretaria de Educação, e em parceria com o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiro realizou na última quarta-feira (30/10), na Câmara Municipal da cidade, o I Seminário Afro-Indígena.

O Seminário reuniu representantes da Reserva Indígena de Braúna, Capoeira Foral da Barra, Associação de Capoeira Liberdade Camará, EMEB José Herculano, Faculdade Educacional Araçatuba Uniesp/Birigui e da Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN), entre outras instituições e entidades.

O coordenador do NEAB, Marcos Benedito (foto) colunista de Afropress destacou a importância da presença dos movimentos negro e indígena: “A participação de representantes do movimento negro, indígenas, capoeiristas, professores, educadores, universitários, associações e também do Legislativo e do Executivo municipal, colaboraram para que este seminário adquirisse uma importância imensurável para a trajetória histórica da cidade”, afirmou.  

Entre os palestrantes estiveram Rafael Pinto, dirigente da CONEN, Jair Forunato e Silvia Helena Seixa, que juntamente com Alexandra Reis, presidente da Associação Neusa Soares, falaram sobre as Leis 10.639/03 e 11.645/08.

Em outra mesa coordenada por Carlos Roberto, diretor de Afirmação de Direitos da Secretaria Municipal de Participação Cidadã, Lázaro Ferreira da Silva (Mestre Café) e Marco Antonio Lima (Mestre Marco Lima), falaram sobre a importância da capoeira como forma de resistência cultura e histórica na luta contra o racismo.

Por sua vez, o Cacique Ranulfo, da Reserva Indígena Braúna, falou da importância da contribuição das diversas etnias indígenas na construção do Brasil.

Durante o Seminário, o Museu Itinerante de Araçatuba, organizado pela Secretaria Municipal de Cultura do Município manteve exposto o seu acervo.

 

Da Redacao