S. Paulo – Começam na primeira semana de janeiro as inscrições para o Seminário “Os desafios para um Brasil Afirmativo”, marcado para o dia 03 de fevereiro das 09h às 18h, no Núcleo de Consciência Negra na USP. O Seminário terá caráter de formação e de organização do Movimento Brasil Afirmativo como uma articulação política de lideranças negras e anti-racistas, independente de partidos e autônoma em relação a governos.
O público previsto será de 50, no máximo, 70 pessoas, e as inscrições devem ser feitas previamente a um custo de R$ 15,00 – o custo do almoço a ser servido no próprio local. Informações podem ser obtidas com o professor Antonio Jacinto, Emerson Teodoro ou Zélia Andrade, nos telefones 9927-4068, 9708-2291 e 7355-9915 ou ainda na Redação de Afropress no telefone 9647-7322.
O Seminário abordará a seguinte temática:
1 – As raízes históricas da desigualdade racial no Brasil
a) a história do escravismo no Brasil; b) a abolição e o pós-abolição; c) as políticas de branqueamento do Estado brasileiro, sob a República;
2 – A luta pela superação da desigualdade no período pós-abolição
a) a história do Movimento Negro; b) a experiência da imprensa negra nas décadas de 20 e 30 e da Frente Negra Brasileira; c) as experiências do período pós-2ª guerra como o Teatro Experimental do Negro de Abdias Nascimento; d) O ressurgimento do Movimento Negro pós-ditadura militar, a partir de 1.978; e) O Movimento Negro hoje – o que é, suas organizações e correntes e os campos políticos nos quais atuam.
3 – Os desafios para um Brasil Afirmativo
a) Um novo modelo de organização; b) a Carta de Princípios baseada na proposta de um movimento negro e anti-racista aberto a amplas camadas da sociedade; c) Um Programa Mínimo para um Brasil sem Racismo; d) uma Agenda para 2.007, que culmine com a Parada Negra (2ª Edição) em Novembro;
Para orientar os debates foram convidados o historiador Luiz Carlos dos Santos, consultor de História Oral do Museu Afro-Brasil e um dos fundadores do Núcleo de Consciência Negra da USP e o professor Kabenguele Munanga, do Departamento de Antropologia da Universidade de S. Paulo. Também será convidado o professor Henrique Cunha, da Universidade Federal do Ceará.
Para os inscritos serão distribuídos textos tendo como base o livro “A história do Negro no Brasil – o negro na sociedade brasileira: resistência, participação e contribuição”, organizado por Munanga.
Segundo o professor Antonio Jacinto, que juntamente com o jornalista Dojival Vieira, editor de Afropress, está responsável pela organização dos debates, o Seminário será um momento rico de aprendizado e organização e deverá representar um passo adiante na luta pela construção de uma organização capaz de organizar e unir, a partir de São Paulo, amplos setores negros e anti-racistas na luta por igualdade racial.

Da Redacao