Meus irmãos da Jamaica
sabem disso
No Caribe, na Martinica, em Nova Orleans
também sabem.
No Haiti fizeram revolução
E pagam por isso
Não por outra razão
A África sangra
Ser negro neste mundo
É uma posição política.
Meus irmãos em Havana sabem
Também em Trinidad Tobago
Na Etiópia,
Na Bahia
No Sudão
No Senegal
Na porta de Gorée
Quem ainda não sabia
Soube disso.
Ser negro no mundo
É uma posição política
No Brasil desde sempre
Sabemos disso
Todos nós
Mesmo os que não tem posição política
Os que batem no peito orgulhosos
O Atlântico é um oceano cheio de túmulos de negros
Por sua posição política
Homens, mulheres e crianças – toda a Palmares
Sabia
Ser negro é uma posição política
Tanto que, quando o velho assassino de índios e negros
O luso Domingos Jorge empreendeu a grande caçada
Zumbi não se rendeu
Todos os meus irmãos na Diáspora
Nos canaviais
Quando arrancavam ouro e diamantes com as unhas
Quando olhavam os algozes no Pelourinho
Até mesmo o Pai João manso e pacífico
Sabe
Ser negro é uma posição política
Mandela sabe.
Malcolm, Martin,
Solano, Samora, Senghor
Sabiam disso
O venerável Abdias
sabe.
Todos sabemos
Desde a maldição de Cam
Ser negro neste mundo é uma posição política.
Salvador, 27/fevereiro de 2.007

Dojival Vieira