S. Paulo – Na posse do novo Conselho da Comunidade Negra do Estado de S. Paulo, o governador José Serra aproveitou a solenidade no Palácio dos Bandeirantes para anunciar a criação de uma Secretaria Estadual mas, não para a Comunidade Negra, sim para os Portadores de Deficiência. “Já está na Assembléia e estamos querendo aprovar isso”, anunciou Serra, referindo-se ao projeto que cria a Secretaria Estadual dos Portadores de Deficiência.
S. Paulo é o Estado com maior população negra do Brasil, com 12,5 milhões de afro-brasileiros, de acordo com a Fundação Seade, órgão da Secretaria de Planejamento do próprio Governo Estadual. Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), No Brasil cerca de 14% da população é portadora de necessidades especiais, o que representa cerca de 24, 5 milhões, segundo o Censo do IBGE 2.000
A posse dos 22 conselheiros representando a sociedade civil e mais 10 que serão indicados pelo Governo, além de sinalizar para a prioridade que o Conselho terá no Governo Estadual, serviu para marcar a despedida da presidência da professora Elisa Lucas Rodrigues.
Ela afirmou ter sido o objetivo da sua gestão “a implantação da cultura do respeito às diferenças, à diversidade, a existência digna e humana”. Segundo Elisa, que pretende se manter no cargo até 2.011, “todo o governo tem de entender que ações afirmativas são a válvula transformadora da sociedade, a linha demarcatória entre o continuísmo das desigualdades e a ruptura do Estado brasileiro com a lógica perversa do racismo” – discursou.
Os planos de Elisa de continuar na presidência, no entanto, sofreram um abalo antes mesmo da posse dos novos conselheiros. O historiador Paulo César Pereira de Oliveira, presidente do Centro Cultural Orunmilá, de Ribeirão Preto, anunciou que é candidato e fez críticas a gestão. “Lamentavelmente não houve avanços em nenhuma área”, afirmou Paulo César em entrevista à Afropress.
Lembrando Montoro
No discurso, após também empossar os novos membros do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente, Serra lembrou o governador Franco Montoro, em cujo Governo foi criado o Conselho, em 1.982, e destacou a expectativa do Governo estadual. “A sociedade deseja que eles inovem conceitos, apontem caminhos e proponham políticas públicas efetivamente voltadas à construção de uma sociedade cada vez mais desenvolvida e mais inclusiva”.
O Conselho da Comunidade Negra está abrigado na Secretaria de Relações Institucionais, que é dirigida pelo secretário José Henrique Reis Lôbo. Lôbo não pôde comparecer por estar se recuperando de uma intervenção cirúrgica.

Da Redacao