Brasília – O presidente da Confederação Nacional dos Vigilantes e Prestadores de Serviços, José Boaventura Santos, denunciou durante a Audiência Pública no Senado, que o vigilante Márcio Antonio de Souza, espancado por segurança das Lojas Americanas de Campo Grande, continua sofrendo ameaças. “É importante lembrou que a agressão teve conotação racista sim, porque o agressor disse que “todo negão tem cara de bandido”. O Márcio continua recebendo ameaças”, contou.
A Confederação que representa os vigilantes e prestadores de serviços, é filiada à Central Única dos Trabalhadores (CUT). Boaventura Santos falou das difíceis condições de trabalho desses profissionais e lembrou outros casos envolvendo consumidores, como o assassinato de uma pessoa no Extra de Salvador.
Segundo ele, é preciso que as empresas invistam na capacitação e na melhoria das condições de trabalho dos profissionais da segurança para que os casos de violência não se repitam.

Da Redacao