Hoje saí de turbante, porque além de ele ajudar a aquecer minhas orelhinhas nesse frio, ele é uma coroa lindíssima que gosto de exibir por me orgulhar de toda cultura afro que ele representa. Percebo que o turbante chama a atenção das pessoas, por diversos motivos, quando o uso.
 
Dessa vez, quando eu estava no ponto, esperandoa perua passar, um cara passou de carro e disse: "Que morena linda!"
 
As pessoas mais próximas a mim sabem que não gosto que me chamem de morena. Me soa como uma tentativa "amiga" de me embranquecer, como se ser negra não fosse legal, então tornam-me morena.
 
Peguei a perua e 30 minutos depois cheguei ao meu destino, mas antes que eu pudesse descer, um senhor, que estava sentado próximo a porta falou: "Que mulata exótica!" Eu desci, bem brava, porque odeio que me chamem de mulata!
 
Sabem por quê? Esse termo carrega o próprio significado do racismo. Não sabe do que estou falando? Eu explico: mulata é o feminino de mulato, um animal híbrido, resultado do cruzamento de cavalo com jumenta ou jumento com égua. Assim eram chamados, pejorativamente, os filhos das escravas com os senhores brancos, para deixar claro que eram resultado do cruzamento entre uma "raça superior", os brancos, com uma "raça inferior", os negros. Deu pra entender? É uma explicita analogia ao que se considera a respeito da raça de cavalos em comparação aos jumentos. 

Pausa para explicar uma coisinha. É bom deixar claro para os que ainda não entenderam: amigos (as) só existe uma raça entre os Homo sapiens, tá? A raça humana. Trabalhar a com ideia de "raça negra" contribui com a manutenção do racismo. E não é isso que gente quer, né?
 
 
 

Continuando: ainda que a pessoa me rotule de mulata, por ignorância, sem uma intenção racista, é preciso que entendam, definitivamente: não tem problema nenhum dizer que eu sou negra. Essa é a cor da minha pele. Tenho orgulho e não vergonha dela! Ok? Tá certo? Combinado? 


Muitas outras questões poderiam ser discutidas a partir dessas situações que vivi, mas, por hoje, encerro meu desabafo com uma provocação: quando vocês, homens, elogiam uma mulher branca, não costumam dizer: "que branca bonita!", certo? Então por que com as mulheres negras, há a necessidade de classificá-las como morena ou mulata antes do elogio?

Daniele Elisa