Primeiro me fizeram acreditar que cabelo bonito mesmo, era o liso. Depois de muitas lágrimas, cicatrizes, conselhos e empoderamento que recebi de mamis, pesquisas e busca pessoal, consegui me livrar dessa ideia. Parei de usar química no cabelo.

Daí vieram me dizer que ele não cresceria ou que cresceria "pior". Então ele cresceu! Lindo e forte! Daí vieram me dizer que ele não passava uma imagem profissional.

Quando viram que assim não me convenceriam, começaram a relacionar minha escolha de ficar crespa com minha ideologia, dizendo que se eu fizesse luzes nele estaria "negando minhas origens" (pausa pra mandar ir à merda quem pensa assim! O que tem a ver a cor do meu cabelo com a aceitação de minha ancestralidade?).

Mas sabem qual é a verdade? A verdade é que quando saio por aí, percebo olhares de admiração e também de repugnância, e a segurança que construí pautada em minha auto estima, me ajuda a enfrentar o que é preciso.

Também é verdade, que meu cabelo representa muito mais que estilo ou estética. Ele demonstra que fui capaz de transpor as barreiras do preconceito racial e enxergar a beleza que há em se aceitar e se amar…

Além disso, ele tem sido referência para outras meninas negras, tanto no trabalho quanto em minha família. Fico louca de orgulho quando elas, que sempre alisaram seus fios, dizem: "quero ficar com o cabelo igual ao seu!". Daí posso responder: "cuide e deixe crescer…". Simples assim. Essa é uma evidência de que referência faz diferença! Me alegro em saber que esse tipo de referencial vai se multiplicar por aí.

E sobre toda ladainha de "cabelo não profissional" o fato é seguinte: "tô aqui ó! Preta, crespa e psicóloga! Sorrindo e feliz em minha identidade profissional, que está ativa, pois atuo na área. Não quero com isso dizer que é preciso deixar o cabelo sem química, como uma espécie de obrigação social.

Quero apenas demonstrar que você tem liberdade pra transformar ou manter seu cabelo como ele é, mas que a motivação seja para atender seus desejos e não o dos outros.

 

Daniele Elisa