S. Paulo – Em contraste com a paralisia do Congresso que não vota o Estatuto da Igualdade Racial e o PL 73/99, que cria cotas para estudantes da escola pública e reserva vagas no acesso às Universidades, já são cinqüenta, as instituições de Ensino Superior que optaram por promover a inclusão de negros e indígenas na Universidade, como política de reparação pelos 350 anos de escravismo e os 119 de racismo pós-abolição.
Esse número, inclui Centros Federais de Educação Teconlógica (Cefets), como os do Rio Grande do Norte, Sergipe e Bahia, e Faculdades de Educação Tecnológica como a de S. Paulo (Fatec).
Esse número também inclui Centros Universitários, como o de S. José e Franca, interior de S. Paulo. Das 57 Universidades Federais, 17 adotaram algum tipo de ação afirmativa, incluindo cotas. Na Rede Estadual, que conta com 34 Universidades, 18 já criaram a reserva de vagas para negros e ou indígenas ou ações afirmativas.
Com a adoção do sistema por parte da Universidade Federal de Santa Maria, estima-se que passará de 15 mil o número de estudantes negros e ou indígenas cotistas – cerca de 2,5% do total de 579,6 mil estudantes do ensino superior nestas instituições segundo o censo de 2005 do MEC.
Segundo Frei David Raimundo dos Santos, ex-diretor executivo da Rede Educafro, os números do Ministério da Educação sobre as instituições que tem alguma ação afirmativa, porém, não são confiáveis. “Nosso número é maior do que o do MEC, pois consideramos CEFETs e FATECs”, afirma, acrescentando que questionará o MEC do porque não considera os Centros Federais de Educação Superior, por exemplo.
Ele também inclui, entre as instituições, a Universidade de S. Paulo, que embora não assuma a política de ações afirmativas de acesso para negros e indígenas, teve, sob pressão de organizações negras como a Rede Educafro, de criar o Inclusp – um programa de inclusão, bastante contestado, porque não contempla o recorte étnico-racial.
“Teve muito suor e dor nesta luta. Os que são contra as cotas para negros, dizendo que isso dive e separa, não conseguem ou não querem enxergar a realidade. Hoje, podemos dizer: valeu a pena lutar. Especialmente porque a luta do negro está trazendo junto a vitória dos brancos pobres que estão na rede publica, dos indígenas e dos pobres em geral”, comemora Frei David.
Veja a relação das instituições
UNEB – Universidade Estadual da Bahia
UEMS – Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul
UENF- Universidade Estadual do Norte Fluminense – Darcy Ribeiro
UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro
UEMG – Universidade do Estado de Minas Gerais
UNIMONTES – Universidade Estadual de Montes Claros
UEL – Universidade Estadual de Londrina
UERGS – Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
UNEMAT – Universidade do Estado do Mato Grosso
UEA – Universidade do Estado do Amazonas
UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas
UEPG – Universidade Estadual de Ponta Grossa
UEFS – Universidade Estadual de Feira de Santana
UEG – Universidade do Estado de Goiás
USP – Universidade do Estado de São Paulo
FAMERP – Faculdade de Medicina SJ. Rio Preto
FATEC SP – Faculdade de Tecnologia de São Paulo
UEZO – Centro universitário da Zona Oeste do Rio de Janeiro
UPE – Universidade de Pernambuco
UEPB – Universidade Estadual da Paraíba
UESC – Universidade Estadual da Santa Catarina
UFPA – Universidade Federal do Pará
UFT – Universidade Federal do Tocantins
UFBA – Universidade Federal da Bahia
UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte
UNIFESP – Universidade Federal de São São Paulo
UFPR – Universidade Federal do Paraná
UFAL – Universidade Federal do Alagoas
UFJF – Universidade Federal de Juíz de Fora MG
UFABC – Universidade Federal do ABC
UFRB – Universidade Federal do Recôncavo Baiano
UFPE – Universidade Federal do Pernambuco
UFRPE – Universidade Federal Rural de Pernambuco
UFMA – Universidade Federal do Maranhão
UFSCAR – Universidade Federal de São Carlos
UFPI – Universidade Federal do Piauí
UFPB – Universidade Federal da Paraíba
UFSM – Universidade Federal de Santa Maria
UNB – Universidade de Brasília
CEFET – Rio Grande do Norte
CEFET – Sergipe
UFMT – Universidade Federal do Mato Grosso
CEFET – Bahia
UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul
UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina
UFRA – Universidade Federal Rural da Amazônia
FAETEC RJ – Fundação de Apoio a Escola Técnica do RJ
ESCS – Escola Superior de Ciências da Saúde – DF
Centro Universitário de São José
Centro Universitário de Franca
Fonte: Rede Educafro

Da Redacao