S. Paulo – Com a presença de indígenas de várias nações presentes na capital como Pankararus, Pankararés, Guaranis, Atkuns, Kariri Xocós, Fulni-ôs, Terenas e Tuxás, foi aberta nesta sexta-feira no Memorial da América Latina, nesta sexta-feira (13/04) a Agenda Indígena de S. Paulo, promovida pela Secretaria do Trabalho, por intermédio da Comissão Intersecretarial de Monitoramento e Gestão da Diversidade (CIM-Diversidade) e Comissão de Indígenas.
A Agenda Indígena pretende, em debates sobre temas de interesse das populações indígenas da metrópole, discutir o que significa ser índio na cidade de S. Paulo e levantar propostas de políticas públicas para os povos indígenas, nas áreas da Educação, Saúde e Trabalho.
Na abertura, após cantos e danças de um grupo das nações Kariris/Xocós e Pankararés, e tendo Sátiro, líder dos Terenas em São Paulo, como mestre de cerimônias, Marcílio Marcos da Silva, liderança dos Atkum, Dimas Joaquim, líder Pankararu, e Maurício Fonseca de Oliveira, do NAI/CEPAM, falaram da importância da organização indígena para romper a invisibilidade.
O jornalista Dojival Vieira, presidente da CIM-Diversidade, representou o Secretário-Adjunto do Trabalho, Carlos Alexandre, e disse que a Secretaria abriu uma porta para a discussão da questão indígena no âmbito da Prefeitura, mas há necessidade de outras portas se abram.
Segundo Marcos Aguiar, da ONG Opção Brasil, que faz um trabalho com indígenas urbanos, em S. Paulo são cerca de 60 mil indígenas de pelo menos 30 nações. Dispersos na metrópole, eles lutam para preservar sua identidade cultural como indígenas, enfrentando os mesmos problemas dos demais habitantes residentes nas periferias, agravados pelo racismo.
As atividades da Agenda continuarão nesta segunda-feira (16/04) com exposição fotográfica e venda de artesanato indígena e duas Mesas de debates no Centro Universitário Salesianos (R. Augusto Tolle, 575 – Santana), sob a coordenação de Eurico Sena, indígena Baniwa, estudante de Direito e aluno da instituição. Na primeira, das 19h às 20h, será discutido o tema “Direito Indígena em São Paulo” e foram convidados o jurista Dalmo Dalari e Ana Lúcia Amaral.
Na segunda, a discussão será sobre “O Índio da Cidade e a Mídia”, das 20h às 22h,e foram convidados João Terena, Jurandi Ciridiuê (IDET), Renan Leahy (Gazeta) e Dojival Vieira (Afropress).

Da Redacao