Rio – Uma das mais sangrentas ditaduras do continente africano, a da Guiné Equatorial, foi a responsável pelo carnaval da Beija-Flor de Nilópolis, escola que desfilou na madrugada desta terça-feira (16/02) na Marquês de Sapucaí. A Guiné – o terceiro maior produtor de petróleo da África (fica atrás apenas da Nigéria e Angola) -, é comandado com mão de ferro há 35 anos pelo ditador Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, e pelo filho Teodoro Obiang Mangue (foto na capa), conhecido como Teodorín, escolhido pelo pai como um dos vice-presidentes.
 
Para fazer um dos desfiles mais luxuosos da história do carnaval carioca, a Escola, segundo o Jornal “O Globo”, teria recebido R$ 10 milhões. Em resposta aos críticos, a direção da Beija-Flor afirmou em Nota que o Governo de Obiang promoveu “melhorias para a população". 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (na foto ao lado com o ditador) visitou a Guiné, em 2010, como presidente, e depois em 2011, representando oficialmente a Presidente Dilma Rousseff. À época, incluiu entre os membros da delegação um diretor da empreiteira Odebrecht, empresa interessada em disputar obras no país.

Foi a partir da visita que a empreiteira entrou na Guiné. Segundo uma fonte ouvida por Afropress, Lula, que é amigo de Neguinho da Beija-Flor, o tradicional puxador do samba da Escola, teria sido um dos responsáveis pelos contatos que resultaram no milionário patrocínio.

Pobreza e corrupção

A Guiné Equatorial é um dos menores países africanos, composto por apenas duas ilhas e uma parte continental. Faz divisa com Camarões e tem uma população de pouco mais de 700 mil pessoas. Colonizada pela Espanha, o país está na lista das 12 nações mais corruptas do mundo, segundo a ONG Transparência Internacional.

De acordo com a Revista Forbes, o país é um dos mais pobres do mundo e ocupa a 144ª posição no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). A pobreza, contudo, contrasta com a riqueza de Obiang: o ditador é o oitavo líder mais rico do mundo, com fortuna avaliada em cerca de R$ 2 bilhões.

Além de bilionário, Obiang é tido no ranking anual da Freedom House, como “o pior do pior” com relação ao respeito aos Direitos Humanos. Execuções sumárias, torturas e prisões de opositores e repressão violenta de protestos, é como vem se mantendo no poder. A política de execuções de adversários não poupou nem mesmo a família: em 1.979, Obiang derrubou seu tio, Francisco Macias Nguema e mandou fuzilá-lo.

Não é a primeira vez que a Escola de Nilópolis, que tem como patrono Aniz abraão David, acusado de chefiar o jogo do bicho no Rio, tem o desfile patrocinado por uma ditadura: em 1.973, 1.974 e 1.975, a Beija-Flor saiu com enredos exaltando feitos da ditadura militar brasileira.

Griôs

O tema da escola foi “Um griô conta a História: um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a tilha de nossa felicidade”. 

Vencedora de 12 títulos do carnaval carioca, com os milhões de Obiang, os 3.700 componentes, divididos em 42 alas, sete carros e um tripé, esbanjaram luxo e riqueza. A Escola é apontada como uma das favoritas para vencer o carnaval deste ano.

 

Da Redacao