Guararema/SP – Terminou neste domingo, na Escola de Formação Florestan Fernandes, em Guararema, interior de S. Paulo, o Encontro “À procura da Batida Perfeita”, que reuniu de 14 a 17/04, cerca de 40 ativistas de nove Estados para discutir uma pauta e uma linha de ação comum do Movimento Negro brasileiro.
O Encontro começou na quinta-feira com um debate na sede da Apeoesp, em S. Paulo, do qual participaram, entre outras lideranças, a doutora em Educação pela Universidade de S. Paulo e diretora da ONG Geledés, Sueli Carneiro. Entre os temas, foram abordados Conjuntura e Criminalização dos Movimentos Sociais, Direitos Sociais, Trabalho, Terra, Moradia, Direitos Humanos, Violência e Cidadania, Educação, Esporte Cultura e Lazer, Estado (Executivo, Parlamento e Judiciário), Capitalismo/Socialismo, Reparação Histórica e Humanitária e Reparação Política.
Segundo o organizador do Encontro e coordenador Nacional de Organização do Movimento Negro Unificado (MNU), Reginaldo Bispo, o objetivo foi “discutir a partir de análises teóricas propostas concretas, para o desenvolvimento de um Programa para o Projeto do Povo Negro para todos os brasileiros e formular um conceito de Reparação Histórica e Humanitária, devido ao colonialismo, ao tráfico de africanos, ao escravismo e ao racismo como efeito continuado”.
Bispo disse que os ativistas presentes saíram comprometidos com a defesa de alguns pontos como a luta pela terra dos quilombos e pelas Cotas, questões que deverão ser julgadas pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), ainda este ano. “As discussões vão continuar e ainda este ano deveremos realizar mais um encontro”, acrescentou.
A ministra chefe da SEPPIR, Luiza Bairros, e o deputado federal Luiz Alberto, do PT da Bahia, foram convidados, porém, segundo Bispo, justificaram a ausência por meio de assessores.

Da Redacao