Já se tornou revoltante, intolerável mesmo, a deliberada e mentirosa cobertura da Rede Globo sobre as recentes manifestações populares contra as mortes (assassinatos) de moradores vítimas da truculência policial e os supostos ataques de bandidos às UPPs.

É mais do que evidente que a imensa população favelada do Rio decretou TOLERÂNCIA ZERO diante da truculência policial. A bem vinda, enfim, reação popular, aliás, já está se tornando uma prática nacional. Esta é uma das verdades presumíveis.

Ver e ouvir medíocres teleguiados "especialistas" em segurança pública como o deprimente Rodrigo Pimentel e o vociferante Paulo Storani (ambos policiais militares oriundos do Bope) mentirem descaradamente, repetindo o mantra de que o "crime organizado" está em guerra contra as UPPs e que as reações legítimas da população das favelas são "orquestradas" pelos bandidos, é pura desinformação, mentira deslavada.

Os incidentes de ontem em Copacabana são emblemáticos a este respeito.

Deviam se constranger os "especialistas". Deviam explicar como estes misteriosos e fantásticos traficantes "retomaram" da noite para o dia cidadelas policiais super controladas e armadas até os dentes sem que ninguém os visse voltando às favelas "pacificadas" com seus "bondes".

Parece Farsa

As assustadoras balas traçantes que vi ontem cruzando os céus de Copacabana, ao contrário, sugerem fortemente uma outra verdade presumível: talvez os bandidos nunca tenham sido expulsos como afirmaram as autoridades e "especialistas" em sua propaganda. Talvez nunca tenham sido sequer desarmados, já que não é razoável supor que bandidos pudessem romper o cerco dos limites das UPPs com armamento pesado sem serem impedidos ou combatidos.

A partir daí o que se pode supor, então? Um acordo entre os órgãos de segurança e o Comando Vermelho? Como explicar esta rápida retomada das "comunidades pacificadas" por parte dos traficantes?

Farsa! 

A população do Rio "normal" estaria sendo vergonhosamente enganada, estando a população favelada sendo tratada como uma multidão de criminosos, uma horda de bandidos dispostos a tudo para atacar os "cidadãos de bem" e merecedora de ser controlada a tiros.

Desnecessário dizer que esta execrável campanha televisiva que insufla o ódio da classe média contra o povo favelado vai produzir muito mais violência, tornando a vida na cidade do Rio de Janeiro uma aventura perigosíssima, insuportável.

Criminosa, portanto a cobertura "jornalística" da TV Globo, porta voz de uma encenação teatral irresponsável, que pode ser caracterizada como a de cúmplice do terrorismo de estado perpetrado pelo ex-Governo Cabral.

O policial militar do Bope hoje "especialista" predileto da TV, Globo Paulo Storani, anda últimamente muito crítico em relação à gestão da segurança pública. Parece em campanha para se tornar o novo Secretário de Segurança. 

Resta saber o que a TV Globo, patroa de Storani, está levando para cumprir este sórdido papel.

Spirito Santo