Washington (EUA) – O Governo George Bush está sendo acusado de racismo pela demora no socorro a população sobrevivente da devastação provocada pelo furacão Katrina, que arrasou na semana passada, vários Estados americanos, em especial Nova Orleans, de população majoritariamente negra.
As acusações partem de políticos negros como Jesse Jackson, do rapper Kanye West e do polêmico cineasta Michael Moore, autor de Fahrenheit 11/09, que escreveu no seu site, carta aberta foi ácido com Bush: “É verdade que são negros! Quer dizer, não é como se tivesse acontecido algo em Kennebunkport”, afirmou, numa referência ao elegante balneário do Maine onde a família Bush tem uma casa de veraneio. “Dá pra imaginar deixar pessoas brancas sobre os telhados durante cinco dias? Não me faça rir! A raça não tem nada – NADA – a ver com isso”, ironizou.
O rapper Kanye West, visivilmente nervoso, disse na rede de TV NBC num show promovido pela Cruz Vermelha para arrecadar fundos para as vítimas; “George Bush não se importa com os negros”, afirmou. West criticou a cobertura da tragédia pela mídia americana: “Odeio a maneira que a imprensa nos apresenta. Se mostram uma família negra, dizem “que estão roubando”, mas se é uma família branca dizem que “estão procurando alimentos”. E vocês sabem, levou cinco dias (antes da chegada da ajuda federal) porque a maioria é de negros”, acusou.
De acordo com o último Censo realizado em Nova Orleans, 67,3% da população é de negros, 30% das quais vive abaixo da linha de pobreza. No país os negros correspondem a 13%, sendo que 12,7% vive na pobreza.
Para o professor Craig Colten, da Universidade Estatal de Louisiana, em Baton Rouge, o impacto das inundações está atingindo mais os negros e aos pobres.”Em Nova Orleans quem tem dinheiro e poder compra casa nas zonas altas”, afirmou.