Como Resposta aos ataques dos fascistas e fundamentalista vamos construir uma nova Caminhada Zumbi unificada com negros indígenas e povos tradicionais.

O processo de intolerância e fundamentalismo de direita esta cada dia mais intenso no Brasil e no mundo. No nosso país isso tem se acirrado, em 2.015 ,seja no Congresso Federal ou na sociedade, uma coalizão ultra conservadora e fundamentalista contra o direitos de todas as minorias étnico-racial religiosa e sexual, assim como as trabalhadores de um modo geral.

Penso que passou da hora dos setores progressista e do movimento negro e social e do povos tradicionais, religiões de matrizes africanas darem uma reposta unificada. 

O processo de intolerância e fundamentalismo de direita hoje tem líderes de massa como Marcos Feliciano, Silas Malafaia, Jair Bolsonaro  tem articuladores políticos como Eduardo Cunha na presidência da Câmara, onde uma bancada de parlamentares ruralistas, religiosos cristãos defende e aprova medidas que pode nos fazer regredir a conquistas mais sagradas, seja na área dos direitos fundamentais ( redução da menoridade penal, descaracterização da Lei que caracteriza e pune o trabalho escravo) ou mesmo atentar contra os direitos dos quilombolas e da populações indígenas que estão ameaçados com o projeto de lei que vai dar ao Congresso dominado por essas elites o direito de decidir sobre o reconhecimento de sua terras.

Atentam, por sua vez, contra o próprio Estado laico republicano propondo criminalização de crisofobia, como também o direito dos homossexuais.

Na sociedade presenciamos atentados contra a vida de pessoas homossexuais e adeptos das religiões de matrizes africanas, que são as vitimas prediletas do proselitismo fundamentalista cristão de extrema direita liderado por estes setores de extrema direita.

Se não houver resposta, seja da sociedade civil (movimentos progressistas de minorias) ou, das instituições democráticas que defendem o Estado de Direito, das autoridades competentes, bem como do Governo que não tem se posicionado à altura para combater esta proposta advinda da sua própria base de sustentação no Congresso, podemos regredir em muitos dos nossas conquistas e direitos sociais conquistados ao longo da historia.

Até quando vamos esperar? Não chegou a hora de deixarmos nossas divergências de lado e construirmos uma grande Marcha à Brasília para combater o ataque fascista, racista e fundamentalista a todos o nosso direitos históricos? Ou vamos esperar perdermos tudo para começar a retomar a nossa luta?

Como proposta vamos organizar uma terceira e grande Marcha Unificada com seguimentos indígenas, povos tradicionais quilombolas  e religiões de matrizes africanas para defender nossos direitos e avançar na luta pela reparação, contra o extermínio da população negra e em defesa do direito a terra dos povos tradicionais e as liberdades religiosas ?

Proposta de organização

A proposta é fazer assembleias municipais e estaduais e nacional para tirar comissão organizadora; definir melhor as pautas, aprovar uma proposta de manifesto nacional a partir da contribuição do texto base do evento e começar a dialogar com os poderes locais estaduais e municipais para agente conseguir o apoio logístico para o evento.

P.S. Para acessar a pagina do evento e participar clique abaixo:

https://www.facebook.com/events/1616322621941487/

Walter Altino