S. Paulo – O dirigente da Universidade Zumbi dos Palmares, José Vicente (foto), comemorou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que em julgamento nos dias 25 e 26 do mês passado, considerou constitucionais as políticas de ação afirmativa e cotas para negros e indígenas.
“O Supremo não abandonou os negros e honrou o povo brasileiro libertando-nos do falso dilema de que não somos racistas e preparando um futuro de integrados e iguais”, disse Vicente, ao comentar a decisão em que os ministros da mais Alta Corte do país, por unanimidade, rejeitaram as alegações do Partido Democratas (DEM), na ADPF (Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental) 186.
O Partido pretendia que o Supremo declarasse inconstitucional o Programa de Ações Afirmativas e Cotas para negros e indígenas adotado pela Universidade de Brasília, por iniciativa dos professores José Jorge e Rita Segatto.
A Universidade Zumbi dos Palmares, que tem como mantenedora a ONG Afrobrás e é a única instituição de ensino superior no Brasil com maioria de alunos negros, acompanhou o julgamento por meio de cerca de 150 estudantes do Curso de Direito que seguiram em comitiva para Brasília, em três ônibus fretados.

Da Redacao