Rio – A Unipalmares foi uma das universidades contempladas na quarta edição do Prêmio Camélia da Liberdade, entregue em solenidade no Rio, na última segunda-feira 24/11. Em sua quarta edição, o Camélia homenageou três artistas considerados ícones das artes: o poeta Solano Trindade e os compositores Cartola e Pixinguinha e empresas como a Fersol, de S. Paulo, que destacou na execução de políticas de diversidade.
Camélia é a flor símbolo do Movimento Abolicionista do século 19 e era utilizada como meio de se reconhecer aqueles que davam cobertura aos fugitivos dos senhores de escravos. “Nós recuperamos este símbolo para manter viva a luta pelo fim das desigualdades neste país”, destacou Ivanir dos Santos (foto), que complementou dizendo ser o prêmio um modo de homenagear pessoas jurídicas e físicas engajadas no processo de promoção, no cotidiano, da igualdade racial via ações afirmativas nas áreas educacional e empresarial.
O reitor da Unipalmares, José Vicente, agradeceu especialmente aos artistas que nos dez anos de existência da Faculdade de Cidadania Zumbi dos Palmares contribuíram para a construção da mesma.
O prêmio promovido pelo Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) tem o patrocínio da Petrobrás através da rubrica “Desenvolvimento e Cidadania”. Segundo a presidente do CEAP, Maytê Ferreira, uma das lutas desta organização não governamental tem sido a capacitação de profissionais da educação, especialmente professores e pedagogos, visando a implementação da lei que determina o ensino de história e culturas africana e afro-brasileira nas escolas de ensino fundamental e médio.
Neste sentido, o secretário-executivo do CEAP, Ivanir dos Santos, informou que ainda esta semana a direção da Associação das Escolas Católicas do Estado do Rio de Janeiro estará reunida para debater a efetiva implantação da citada lei entre todos os seus associados.
A apresentação da cerimônia de entrega do Prêmio Camélia da Liberdade coube a Valquíria Ribeiro e Sergio Loroza, com textos de Nei Lopes e as participações das cantoras Rosa Maria Colyn e Leny Andrade, do cantor e compositor Dudu Nobre e do instrumentista Armandinho, que interpretaram clássicos de Pixinguinha e Cartola. Os grupos Aeromoças e Crioleba participaram da homenagem ao poeta Solano Trindade, bem como a atriz, dramaturga e cineasta Iléa Ferraz.
Entre outras personalidades presentes à cerimônia, o ministro-chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Edson Santos e o ator e diretor de televisão, Milton Gonçalves.
Relação dos premiados
Educação: Unipalmares (SP), Universidade Federal de Juiz de Fora, Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul
Empresas: Fersol (SP) e Caixa Econômica Federal.
Imprensa: Heraldo Pereira (Tv Globo), Leila Souza Lima (jornal O DIA-RJ) e Sidney Rezende (Globo News).
Personalidades: Zezinho da Boa Viagem, Fatima Damas, Ancelmo Góis (O Globo).

Da Redacao