S. Paulo – A Rede Educafro, dirigida pelo Frei David Raimundo dos Santos, sofreu mais um revés na disputa que mantém com os dissidentes que integravam a coordenação política e jurídica e que saíram, no início do ano, por discordâncias quanto aos métodos, segundo eles autoritários, utilizados pelo religioso na gestão da entidade.
Em ofício encaminhado aos dirigentes da nova entidade, criada pelos dissidentes – a União de Núcleos para a Educação Popular de Negros (as) e Classe Trabalhadora (Uneafro) -, o pró-reitor Comunitário da Universidade S. Francisco, professor Evandro Luis Amaral Ribeiro (foto), garantiu que “a Universidade não cancelará as bolsas dos bolsistas oriundos da Educafro que, por livre iniciativa, decidirem aderir à nova entidade Uneafro”. A Universidade tem campus em Bragança Paulista, Itatiba, Campinas e no bairro do Pari, na capital.
Ameaças do Frei
A ameaça do corte das Bolsas foi o modo encontrado por Frei David para evitar o crescimento da dissidência. Num duro comunicado assinado de próprio punho o religioso, coadjuvado pelo novo gerente geral da Educafro, Eduardo Pereira Neto, ameaçou os estudantes de que não teriam renovadas as bolsas caso não apresentassem a USF a Carta oficial chancelada e timbrada pela Educafro.
Os bolsistas eram ainda alertados “sobre a má intenção” dos dissidentes, acusados da prática de “fraude ideológica, apropriação de bens, serviços e benefícios já existentes”, e advertidos de que o comparecimento às reuniões convocadas pelos menos implicaria na perda do benefício.
Não às ameaças
A Universidade S. Francisco, contudo, não apenas rejeitou as ameaças do Frei como denunciou a manipulação e agora, por meio do ofício PRC 010/2009, propôs parceria com a nova entidade.
“É importante frisar a estes alunos que a garantia da bolsa está condicionada à filiação à UNEAFRO, isto porque a Universidade São Francisco opta por uma gestão compartilhada das políticas de inclusão e de ação afirmativa em que participa. Assim sendo, tanto os bolsistas que permanecerem filiados à entidade Educafro, bem como os que vierem a se filiar à entidade UNEAFRO, terão garantidos os percentuais de bolsas já concedidos bem como as obrigações e direitos regidos pela Resolução CSAU 2/2006, ou seja: deverão manter o rendimento acadêmico acima de 75% de aproveitamento nas disciplinas cursadas”, acrescenta.
Os alunos que optarem pela filiação à Uneafro deverão renovar a bolsa de estudos no ato da matrícula subseqüente para o 2º semestre deste ano. A Universidade também comunica que aguardará da Uneafro o recebimento de relação de nomes dos seus filiados, em listagem oficial e impressa, sem rasuras e numa única via, enviada ao Setor de Bolsas da Pró-Reitoria Comunitária da Universidade São Francisco, até o dia 1º de junho.
O pró-reitor alerta que não haverá prorrogação desse prazo diz que aguardará a direção da Uneafro para discussão e formalização de futuro convênio próprio.
Veja o ofício do Pró-reitor Comunitário da Universidade S. Francisco.
Ofício PRC nº 010/2009
A
União de Núcleos de Educação Popular para Negras/os e Classe Trabalhadora
UNEAFRO – BRASIL
A/C Srs. dos Douglas Elias Belchior e Cleyton Wenceslau Borges
Referente: Ofício Uneafro nº. 06-2009
Assunto: Consulta sobre renovação de benefícios de universitários(as) bolsistas e
convênio
Prezados senhores,
Em resposta ao Ofício supracitado, da UNEAFRO – União de Núcleos de Educação Popular para Negras/os e Classe Trabalhadora, de 19 de março de 2009, endereçado à Reitoria da Universidade São Francisco, cabe a este Pró- Reitor Comunitário informar o quanto segue:
A Universidade São Francisco, instituição de educação superior, comunitária, confessional e filantrópica, de forma a atender à sua missão e objetivos estratégicos, criou em 2006, sua Política Social de Inclusão no Ensino Superior e de Concessão de Benefícios, instituída através de Resolução do Conselho Superior de Administração Universitária – CSAU (Resolução CSAU 2/2006).
Através desta Política a Universidade visa fortalecer o seu compromisso social com a inclusão de pessoas carentes e daquelas que, de alguma forma, não teriam como honrar com uma obrigação financeira para freqüentar um curso superior. Exemplo desta Política é o Convênio com a entidade Educafro e posteriormente a adesão da Universidade ao Programa Universidade para Todos – PROUNI, do Governo Federal.
E considerando os processos pelos quais a Educafro tem passado, donde resultou o surgimento da UNEAFRO, é importante destacar que a postura da Universidade São Francisco tem sido de sempre zelar pelos compromissos assumidos, especialmente com os alunos bolsistas, que requerem atenção especial desta Universidade.
Desta forma – e como fora objeto de Comunicado recente, emitido por esta Pró-Reitoria (Comunicado PRC nº 03/2009) – esclarecemos mais uma vez que a Universidade não cancelará as bolsas dos bolsistas oriundos da Educafro que, por livre iniciativa, decidirem aderir à nova entidade UNEAFRO. É importante frisar a estes alunos que a garantia da bolsa está condicionada à filiação à UNEAFRO, isto porque a Universidade São Francisco opta por uma gestão compartilhada das políticas de inclusão e de ação afirmativa em que participa.
Assim sendo, tanto os bolsistas que permanecerem filiados à entidade Educafro, bem como os que vierem a se filiar à entidade UNEAFRO, terão garantidos os percentuais de bolsas já concedidos bem como as obrigações e direitos regidos pela Resolução CSAU 2/2006, ou seja: deverão manter o rendimento acadêmico acima de 75% de aproveitamento nas disciplinas cursadas.
No caso específico dos alunos optantes de filiação à UNEAFRO: a renovação da bolsa de estudos deverá ser realizada no ato de sua matrícula subsequente para o 2º semestre de 2009. Para tanto, a Universidade aguardará da UNEAFRO o recebimento de relação de nomes dos seus filiados, em listagem oficial e impressa, sem rasuras e numa única via, enviada ao Setor de Bolsas da Pró-Reitoria Comunitária da Universidade São Francisco, até o dia 1º de junho, impreterivelmente.
Não haverá prorrogação desta data.
E por fim, a Universidade São Francisco informa também que aguardará a UNEAFRO para discussão e formalização de futuro convênio próprio.
Sendo o que se apresenta para o momento, aproveito a oportunidade para renovar nossos protestos de elevada estima e distinta consideração.
Atenciosamente,
Evandro Luís Amaral Ribeiro
Pró-Reitor Comunitário

Da Redacao