S. Paulo – Conhecido como o primeiro serial killer do país e condenado sem nunca ter
sido julgado, José Augusto do Amaral – o Preto Amaral – terá sua história recontada em Júri Simulado da Universidade de São Paulo (USP).
O Júri servirá para abrir o debate sobre a influência do racismo em casos jurídicos e acontecerá nesta quinta-feira (20/09), a partir das 18h30. O objetivo é avaliar se os elementos reunidos seriam suficientes para provar os crimes atribuídos ao réu e levá-lo à condenação.
Um grupo de juristas formado pelo promotor de Justiça Carlos Roberto Marangoni Talarico – criminalista que atuará na acusação -, Antônio Cláudio Mariz de Oliveira e o Defensor Público Renato Campos Pinto de Vitto, que defenderá Preto Amaral, foi reunido para a análise dos fatos.
A proposta é que os advogados apresentem argumentos e evidências, para reconstruir o
julgamento ao qual o réu não teve direito.

Da Redacao