S. Paulo – Todas as vítimas de uma operação da Polícia Federal no mês passado na Galeria Presidente, no centro de S. Paulo – que resultou na detenção de cerca de 700 pessoas, a maioria das quais comerciantes negros, boa parte africanos em situação legal no país – estão convidadas a participar da reunião que acontece nesta quarta-feira (25/04), na Câmara Municipal de S. Paulo, para discutir as medidas que serão tomadas para exigir explicações das autoridades responsáveis.
A Ouvidora-geral da Defensoria Pública de S. Paulo, Luciana Zaffalon, já confirmou a presença à reunião que acontece a partir das 19h, na Sala Luis Tenório de Lima A operação aconteceuno dia 26 do mês passado e foi dirigida contra negros que trabalham no comércio, levados para a sede da Polícia Federal no Alto da Lapa, onde ficaram detidos, em alguns casos até a manhã do dia seguinte.
De acordo com Lúcia Umedezue, ativista e assessora parlamentar do vereador paulistano Carlos Neder (PT), o objetivo da reunião é abrir espaço para que as vítimas formalizem a denúncia da ação da PF. “Precisamos mobilizar as pessoas que presenciaram e foram vítimas desta ação. Se tiverem fotos ou gravações por favor tragam à reunião”, afirmou.
As denúncias constarão do Relatório que, segundo Lúcia, será enviado relatório ao Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe), conforme ficou definido na última reunião do Conselho.

Da Redacao