Brasília – Zulu Araújo será o novo Presidente da Fundação Cultural Palmares, em substituição ao atual Presidente professor Ubiratan Araújo, segundo fontes próximas ao ministro da Cultura Gilberto Gil. A decisão já foi tomada pelo ministro e deve ser oficializada até a primeira quinzena de fevereiro.
Logo após ter confirmada sua permanência na Cultura, Gil chamou Zulu para uma conversa e o comunicou que ele será o escolhido para o cargo, segundo estas fontes. O cargo vinha sendo disputado por, pelo menos, dois outros nomes – Hilton Cobra, ator e produtor teatral, e Juarez Tadeu de Paula Xavier, diretor de Comunicação da UNICID – Universidade da Cidade de S. Paulo, com o apoio do PC do B e da Unegro.
A Fundação Palmares foi criada em 1.988 e está vinculada ao Ministério da Cultura. Zulu já está fazendo contatos para montagem da nova equipe da Palmares.
Entre os nomes que também disputavam a indicação, nenhum tinha relação próxima com o grupo baiano que comandou a Fundação Palmares durante a primeira gestão de Gil à frente do MinC. Cobra vinha sendo apoiado por intelectuais negros, entre os quais Luiza Bairros e Sueli Carneiro e personalidades do meio artístico, especialmente do Rio, como a atriz Tais Araújo, e os compositores Nei Lopes e Lei Brandão. Entre os apoiadores de Juarez, o ex-deputado Nivaldo Santana e o ex-jogador do Corinthians, Wladimir, atual Secretário de Esporte e Lazer de Diadema.
Zulu, que ocupou na primeira gestão o cargo de diretor de Promoção, Estudos, Pesquisas e Divulgação da Cultura Afro Brasileira, teve o apoio das lideranças negras da Bahia, como João Jorge Santos Rodrigues, Presidente do Olodum, Antonio Carlos dos Santos Vovô, presidente do Ilê Aiyê e de Walmir França, coordenador executivo do Fórum de Entidades Negras da Bahia.

Da Redacao