Brasília – O arquiteto Zulu Araújo é o novo presidente da Fundação Cultural Palmares, conforme antecipou a Afropress na semana passada. O Diário Oficial da União desta terça-feira, traz despacho da Ministra da Casa Civil Dilma Rousseff, com a nomeação de Zulu, que ocupava a diretoria de Promoção, Estudos, Pesquisas e Divulgação da Cultura Afro-Brasileira.
Na semana passada, Afropress, citando fontes confiáveis antecipou que o ministro Gilberto Gil, da Cultura, já o havia escolhido para ocupar o cargo no segundo mandato do Presidente Luis Inácio Lula da Silva, em substituição ao professor Ubiratan Araújo. Zulu já vinha exercendo interinamente o cargo.
A presidência da Palmares vinha sendo disputada por nomes de peso no movimento cultural negro, entre os quais o do ator e produtor cultural Hilton Cobra, e o diretor de Comunicação da UNICID – Univerrsidade da Cidade de S. Paulo, com o apoio do PC do B e da Unegro, Juarez Tadeu de Palma Xavier.
Zulu teve o apoio das lideranças negras da Bahia, como João Jorge Santos Rodrigues, Presidente do Olodum, Antonio Carlos dos Santos Vovô, presidente do Ilê Aiyê, de Walmir França, coordenador executivo do Fórum de Entidades Negras da Bahia e do próprio ministro da Cultura Gilberto Gil.
Quem é
Edvaldo Mendes Araújo (Zulu Araújo) tem 54 anos e é baiano. Arquiteto pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia, tem 54 anos. Tem larga experiência na gestão de políticas culturais voltadas à população negra, já tendo sido administrador e coordenador cultural da Praça Reggae, Assessor do Grupo Cultural Malê, Diretor de Cultura e Conselheiro do Olodum, Assessor Especial da Secretaria de Cultura da Bahia e assessor especial da Presidência da Fundação Cultural do Estado da Bahia, entre outros cargos.
Zulu também foi o coordenador geral, elaborador e produtor executivo das atividades pela celebração dos 300 anos de Zumbi, evento que reuniu, nas cidades de Maceiói e União dos Palmares (Alagoas), em 1.995, autoridades e artistas como Martinho da Vila, Sandra de Sá, Leci Brandão, Banda Olodum, Margareth Menezes, Luiz Melodia, Balé Foclórico da Bahia, Grupo Candombe (Uruguai), Kilandokilo (Angola) e Los Monequitos (Cuba), dentre outros.

Da Redacao