Brasília – Ampliar o diálogo com segmentos da sociedade brasileira, com os poderes Legislativo e Judiciário, e organizações e entidades, além de promover ações para estimular a juventude negra a participar ativamente do desenvolvimento do país. Esses são os principais objetivos do novo presidente da Fundação Palmares Zulu Araújo, que tomou posse na manhã desta terça-feira, no auditório do Ministério da Cultura, em solenidade que teve a presença do ministro Gilberto Gil.
“A juventude negra, em particular, habita principalmente a periferia e está sujeita a todo tipo de violência, até mesmo contra o direito de ir e vir. Queremos estimular experiências como a do movimento Hip Hop e a do Bloco-afro e articular novas parcerias”, disse Zulu. “A idéia – acrescentou – é que, juntos, possamos não apenas enfrentar as resistências aos avanços democráticos, mas ampliar os espaços de negociação, consolidar conquistas e garantir o tratamento digno e igualitário da cultura afro-brasileira”.
O ministro Gilberto Gil, por sua vez, destacou que, desde sua criação, em 1.988, a Fundação Palmares teve papel importante na valorização da cultura negra no Brasil e Zulu dará continuidade a esse processo. “A presença de Zulu foi fundamental para essa valorização e para a formação da consciência negra brasileira. Trata-se de uma pessoa preparada, experimentada, comprometida e absolutamente confiável”, acrescentou Gil.
Entre as iniciativas que pretende continuar Zulu citou a defesa e o reconhecimento das comunidades quilombolas no país e o contato com países africanos, principalmente os de língua portuguesa. A idéia, diz ele, é viabilizar a troca de experiência com essas nações.
O novo presidente também pretende promover e estimular o estudo e a pesquisa sobre a população negra e publicar conteúdo relacionado a sua cultura, atividades que são desenvolvidas com o apoio da universidade.

Da Redacao